Irmão de Garotinho é preso por exploração sexual no norte do Estado do Rio

Do UOL, no Rio

  • Reprodução/Facebook

    Nahim foi condenado a 12 anos de prisão

    Nahim foi condenado a 12 anos de prisão

O ex-deputado e irmão do ex-governador do Rio de Janeiro Anthony Garotinho, Nelson Nahim, foi preso nesta quinta-feira (9) por envolvimento em um caso de exploração sexual de crianças e adolescentes em Campos de Goytacazes, na região norte do Rio de Janeiro. O crime, denunciado em 2009 por jovens que conseguiram escapar do bando, ficou conhecido como Meninas de Guarus.

Nahim foi condenado nesta quinta a 12 anos de prisão pela prática dos crimes de estupro, coação no curso do processo e submissão de criança e adolescentes à prostituição e exploração sexual. Cabe recurso da decisão. Na denúncia, o ex-deputado foi apontado por sua relação com uma adolescente de 15 anos conhecida como "Barbie Girl", com quem mantinha encontros sexuais no sítio Nossa Senhora das Graças, da sua propriedade, localizado em Caixeta, um distrito de Campos. A adolescente, segundo o Ministério Público, desfrutava de tratamento diferenciado por ser a favorita de Nahim e ter o número dele gravado em seu celular.

A reportagem entrou em contato com o escritório Bergher & Mattos Advogados Associados, que confirmou estar à frente do caso do ex-deputado Nelson Nahim, e foi orientada a falar diretamente com um advogado identificado apenas como Marcelo. O UOL tentou contato por telefone com o advogado quatro vezes, às 16h30, 17h, 17h30 e 17h50 na tarde desta quinta-feira, deixando também um contato na caixa postal do número indicado, mas não obteve retorno. No escritório, foi informado que o advogado estava "despachando" e assim não poderia atender ao telefone. A secretária do escritório, que não se identificou, orientou a reportagem a retornar a ligação novamente na sexta-feira (10).

Além do ex-deputado, o Ministério Público cumpriu mandados de prisão contra outras 13 pessoas, entre elas um ex-vereador e um policial militar.  Eles foram condenados pelos crimes de quadrilha armada, estupro de vulnerável, exploração sexual de crianças e adolescentes entre outros.  De acordo com a Justiça, todos os acusados tem direito a recorrer da decisão.

Ainda de acordo com a denúncia, os réus mantinham crianças e adolescentes entre oito e 17 anos de idade presas em uma casa localizada em Guarus, distrito de Campos, para fins de prostituição e exploração sexual. A casa tinha as portas e janelas trancadas com correntes e cadeados e era vigiada por homens armados. As vítimas eram obrigadas a consumir drogas, como cocaína, haxixe, crack, ecstasy e maconha, sem que pudessem oferecer resistência.

Até agora 12 pessoas, incluindo Nahim, foram presas. Duas pessoas ainda estão foragidas. A operação também conta com o apoio do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), e as condenações são decisão da juíza Daniela Barbosa Assumpção de Souza.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos