PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Dupla encontra coleção de moedas antigas durante demolição de casa em Bauru

Construtores acharam cerca de 20 mil moedas antigas durante demolição de casa em Bauru (SP) - Arquivo pessoal
Construtores acharam cerca de 20 mil moedas antigas durante demolição de casa em Bauru (SP) Imagem: Arquivo pessoal

Eduardo Schiavoni

Colaboração para o UOL, em Ribeirão Preto (SP)

12/07/2016 06h00

Dois irmãos construtores encontraram milhares de moedas antigas, entre reis, cruzeiros e cruzados, em uma obra na qual trabalhavam em Bauru, no interior de São Paulo. Elas estavam dentro de caixas e serviam como contrapeso ao portão eletrônico do imóvel. Os pedreiros já separaram as mais antigas e mandaram avaliar. As demais serão cotadas nos próximos meses. Apesar de buscarem o valor comercial, eles pretendem manter as moedas.

Segundo Gérson Rogério Felix, um dos responsáveis pela obra e que achou o "tesouro", as moedas foram encontradas quando a equipe comandada por ele fazia a retirada do portão para a demolição da casa.

“Na hora em que fomos esvaziar o portão, vimos uma caixa com as moedas servindo de contrapeso. Fomos ver e ficamos surpresos por causa da quantidade de moedas. Logo depois, fomos retirar outro portão e encontramos mais moedas, na mesma quantidade", disse.

Segundo Bruno Felix, filho de Gérson, a estimativa é que pelo menos 20 mil moedas tenham sido encontradas. "Encheu duas latas inteiras de tinta, daquelas de 20 litros. É muita moeda", diz.

Valor

Bruno explica que já separou as moedas que mais chamaram a atenção e mandou para avaliação. Segundo ele, as mais antigas do lote foram cunhadas nas décadas de 1910 e 1920. "Tem também duas moedas históricas, lançadas pelo Getúlio Vargas na década de 1930. Uma tem o rosto dele, a outra, o do Floriano Peixoto. E também uma comemorativa aos cem anos da Independência, de 1922", conta. Em valores de mercado, moedas similares dessa época custam na casa dos R$ 30, mas determinados lotes, mais raros, chegam à casa das centenas de reais.

De acordo com o colecionador Márcio Javaroni, entretanto, apesar de a quantidade de moedas ser grande, não é possível afirmar se entre elas se encontra alguma raridade de grande valor comercial. Pela mesma razão, não é possível colocar, sem avaliação minuciosa, um preço no achado dos construtores.

“Moedas cunhadas a partir de 1920 são relativamente comuns, muitas delas são vendidas por quilo inclusive. Mas pode haver, entre elas, alguma que seja de um lote diferenciado, o que aumenta muito o valor. Mas isso é exceção e só é possível falar sobre valores após análise. É um garimpo”, explica.

Bruno afirma, entretanto, que não pretende vender o "tesouro" encontrado. "Eu achei essas moedas, então vou guardar. Não sei quanto elas valem, mas quem sabe no futuro elas valham mais? Agora comecei minha coleção, quem sabe consigo outras moedas antigas", anima-se.

Cotidiano