Jovens que torturaram garota em GO se dizem arrependidas por não matar vítima

Lourdes Souza

Colaboração para o UOL, em Goiânia

  • Cenas do vídeo que as adolescentes gravaram machucando a vizinha de 14 anos

    Cenas do vídeo que as adolescentes gravaram machucando a vizinha de 14 anos

As adolescentes que torturaram uma vizinha de 14 anos, em Trindade, cidade a 23 quilômetros de Goiânia, afirmaram na delegacia que se arrependeram de não terem conseguido matar a vítima.

A delegada Renata Vieira Freitas, titular da Delegacia de Proteção à Criança e Adolescente, disse que os depoimentos de três das quatro agressoras são chocantes. "Elas relataram tudo sem arrependimento e falavam como se estivessem depenando uma galinha. Chegaram a dizer que se arrependeram de não terminarem as agressões e matarem a vítima."

Segundo a delegada, as agressoras contaram com detalhes o plano. O assassinato da garota seria cometido pela adolescente mais velha, que tem 16 anos, mas se atrasou para chegar ao local do crime porque estava em Goiânia, fazendo um curso. As cenas foram filmadas e o vídeo seria visto novamente quando fossem comemorar a morte da adolescente.

As jovens agressoras foram apreendidas em flagrantes e encaminhadas de forma preventiva para dois centros de internação social, um em Goiânia e outro no município de Formosa, onde devem ficar por 45 dias, até o julgamento do caso pelo Juizado da Infância e Juventude.

A delegada conta que a vítima está em pânico e recebendo acompanhamento médico. Nesta semana, ela fará ressonância na cabeça, para verificar se lesões causadas por onze cortes que foram executados. Além das sequelas emocionais, a jovem também não está mexendo o braço, que teve o tendão cortado.

A família da vítima já se mudou do bairro, onde morava em Trindade, e terá acompanhamento psicossocial.

CONTÉM CENAS FORTES: Garotas são apreendidas por tortura

Tortura

O crime aconteceu na quinta-feira (28) quando as quatro garotas convidaram a vítima de 14 anos para uma festa na casa de uma delas. Segundo a polícia, todas estudavam na mesma escola e eram vizinhas. Assim que chegou à residência de uma das agressoras, por volta das 14h30, a jovem começou a ser agredida e foi amarrada.

Mas a delegada conta que toda a agressão foi combinada entre as quatro adolescentes, que têm entre 13 e 16 anos, na terça-feira (27) na casa de uma delas, em Trindade. A polícia apurou que ainda na terça-feira, após a reunião, as garotas cavaram num corredor dos fundos da casa, uma cova para enterrar a vítima.

Na quinta-feira, a sessão de tortura foi filmada pela adolescente mais nova, de 13 anos. A delegada Renata Vieira de Freitas diz que essa garota não participou das agressões, mas também não fez nada para impedir. "Ela foi a única que demonstrou certo arrependimento e foi quem mostrou os vídeos para a Polícia Militar".

As agressões continuaram até por volta das 18h e foram cometidas pelas duas garotas do grupo, que têm 14 anos. Enquanto esperavam a companheira mais velha chegar de Goiânia, elas espancaram a vítima, com onze cortes de facão na cabeça da garota e também lhe cortaram o tendão de um dos braços.

Durante o espancamento, elas jogaram a jovem dentro da cova que estava cavada no quintal e a ameaçaram seguidamente de morte. A delegada conta que a jovem chegou a vomitar e quase desmaiou.

Em determinado momento com a distração das acusadas, a vítima pulou um muro e caiu na casa vizinha. A dona da propriedade era amiga da mãe da vítima e acionou a ajuda médica e avisou a família. As outras garotas fugiram e a adolescente mais nova foi até a Unidade Pronto Atendimento, de Trindade, saber do estado de saúde da garota torturada e foi interpelada por policiais militares.

Ela apresentou os vídeos gravados no celular e mostrou onde era casa, onde ocorreram as agressões. Os policiais foram até a casa e encontraram a adolescente mais velha, que se atrasou e chegou ao local quando a tortura já havia acabado.

As outras duas foram detidas no sábado. Na delegacia, todas confessaram o crime e disseram que a motivação seria legítima defesa porque a adolescente agredida estaria as ameaçando de morte.

A delegada diz que essa versão não se confirmou até o momento e nos vídeos é possível ver as duas adolescentes citando o cabelo, o nariz e um suposto garoto, que seria ex-namorado de umas das agressoras. "Esse crime bárbaro aparentemente foi cometido por ciúmes e inveja, elas falavam no vídeo que nunca mais a vítima teria aquele cabelo e nem o nariz de 'Barbie'. Elas também estariam com ciúmes de um rapaz, que seria amigo da vítima e ex-namorado de uma delas, que ajudava a vítima na organização de uma festa de 15 anos que aconteceria em dezembro", conta Renata.
 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos