Após polêmica, Crivella demite assessor que defendeu morte de presidiários

Do UOL, no Rio

  • Reprodução/Facebook

    A função para a qual Fuks foi nomeado pertence à estrutura da Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos

    A função para a qual Fuks foi nomeado pertence à estrutura da Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (PRB), dispensou o advogado Arthur Fuks um dia após nomeá-lo para o cargo de assessor na Subsecretaria de Inclusão Produtiva. Crivella tomou a decisão depois de saber que Fuks havia publicado na internet mensagens sugerindo a morte de presidiários. O decreto que torna sem efeito a nomeação será publicado na edição desta quinta-feira (19) do Diário Oficial municipal.

Em sua página no Facebook, Fuks também escreveu posts nos quais defende prisão perpétua para crianças. "Ia fazer uma boa limpa na pivetada", comentou ele em mensagem compartilhada em outubro com a imagem de uma criança usando roupas de presidiário e os dizeres, "12 anos de idade pegou prisão perpétua por matar mendigo. Você gostaria de ver isso no Brasil?".

Outro post, também compartilhado em outubro, fala em ser a favor de "reintegrar o bandido a sociedade". "Os órgãos vão para adoção, o esqueleto vai para escola de medicina e o que sobrar vai pra adubo."

A função para a qual Fuks foi nomeado pertence à estrutura da Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos. A escolha não pegou bem para Crivella, e a assessoria do prefeito informou que a responsabilidade era, na verdade, da titular da pasta, a vereadora Teresa Bergher (PSDB). Por esse motivo, ele não se posicionou.

Reprodução/Facebook
Nomeado assessor, Fuks defendeu morte de presos em seu Facebook e acabou exonerado
De acordo com a secretaria, a nomeação de Fuks foi suspensa no fim da tarde de terça-feira (17), depois que o caso veio à tona e após uma série de reclamações citando as postagens de autoria do advogado. A medida, porém, não foi oficializado no Diário Oficial desta quarta porque as edições do jornal institucional são fechadas às 17h do dia anterior. A assessoria de Teresa Bergher afirmou que ela está "consternada" e que "nunca imaginou que ele tivesse esse tipo de posição".

A reportagem tentou contato com o advogado, mas não obteve resposta até o momento. Fuks apagou o perfil da rede por volta das 17h30 de terça.

A edição desta quinta do Diário Oficial terá outro recuo por parte de Crivella: a suspensão da nomeação do delegado Bráulio do Carmo Vieira de Melo para a Coordenadoria de Transporte Complementar, que é ligada à Seop (Secretaria de Ordem Pública). A medida foi tomada depois que o prefeito soube pela imprensa que Melo responde a processo na Justiça. Ele é suspeito de ter sido o autor de uma tentativa de homicídio em Cuiabá, em 2011.

Segundo a imprensa local, na época, Melo fez disparos de arma de fogo contra jovens que saíam de uma boate da capital do Mato Grosso. As circunstâncias do caso, no entanto, não foram esclarecidas. O UOL não conseguiu entrar em contato com o delegado.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos