Em vídeo, pai de menina baleada em SP diz que "milagre" salvou a filha

Janaina Garcia

Do UOL, em São Paulo

'Ana Victoria está aí por um triz', diz pai de criança baleada em SP

A família da menina Ana Victória Rodrigues Silva, 6, publicou nesse final de semana um vídeo de agradecimento pelas manifestações de solidariedade à criança, baleada no último dia o 1º quando brincava em frente à própria casa, em uma comunidade na Vila Prudente (zona leste de São Paulo).

O pai de Ana, o autônomo Gilson Alves da Silva, 27, definiu como "milagre" o fato de a filha ter sobrevivido ao disparo –efetuado quando policiais incursionavam pela área, supostamente, em busca de um suspeito. A bala que atingiu a menina, na versão da PM, seria desse suspeito, que não foi preso. À avó, que prestou o primeiro atendimento, Ana Victoria relatou apenas a presença de policiais na área, quando foi atingida.

O vídeo foi gravado no Hospital Municipal de Tatuapé, também na zona leste, onde Ana Victoria está internada depois de ser submetida a procedimentos de limpeza da região afetada. A bala, que entrou pelas costas, atravessou o ombro e desceu à axila, segue alojada.

Com a filha no colo, o autônomo brincou que o "susto" foi causado por uma "bala de menta doce". "Eu estou bem. Foi só um tirinho", respondeu a criança. "Nada mais, né? Foi só um tiro, você só quase matou o seu pai e a sua mãe do coração, seu vô, suas avós. Mas, graças a Deus, a Ana Victoria está muito bem. Já está aí, bagunçando, já ganhou presentinho, comeu duas marmitas inteiras sozinha", brincou o pai, dirigindo-se à filha. "Graças a Deus ela está muito bem, bagunçando, comeu duas marmitas inteiras sozinha", afirmou o jovem.

Ele agradeceu "todos que ficaram ao nosso lado o tempo todo, apoiando, dando força". "Se não fossem os amigos, a gente estaria numa pior se lamentando pelos corredores e chorando pelos cantos. Graças a Deus, tudo corre bem", disse, chamando a filha de "forte, guerreira". "Se não fosse Deus, não sei o que seria? Ele ajudou, e ser grato todo dia nos traz muitos milagres – foi um deles".

"Ana Victoria está aí por um triz, por esse cabelo, que salvou ela. Está faltando um pedaço dele, mas, graças a Deus, falta esse pedaço por um bem", definiu. 

Ao UOL, o pai de Ana Victoria afirmou que a filha deve ter alta somente a partir da próxima quinta-feira (9) – o tempo para que os antibióticos que ela está tomando deem mais resultados. "Pelo que o médico nos disse, o tempo da retirada da bala é de 30 a 40 dias depois do ocorrido. Esses antibióticos são próprios para expulsão da bala, para ficar mais fácil cirurgia, e sem risco", contou.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos