Transferência de estátua surpreende e incomoda moradores de Curitiba

Vinicius Boreki

Do UOL, de Curitiba

  • Joel Rocha/Prefeitura de Curitiba

    Prefeito Rafael Greca (PMN) apresenta estátua do Cacique Tindiquera, agora instalada no Centro de Curitiba

    Prefeito Rafael Greca (PMN) apresenta estátua do Cacique Tindiquera, agora instalada no Centro de Curitiba

Na semana do aniversário de Curitiba, quando a cidade completou 324 anos no último dia 29 de março, a prefeitura e o prefeito Rafael Greca (PMN) foram obrigados a prestar esclarecimentos à população pela retirada de uma estátua de seu local de origem.

A estátua do Cacique Tindiquera, confeccionada em bronze pelo escultor Elvo Benito Damo, que estava no Parque Histórico da Vilinha, no Bairro Alto, foi transferida para a Praça Tiradentes, o marco zero da cidade.

Tanto nas redes sociais quanto no Bairro Alto, a atitude da prefeitura foi condenada pela população. "Achei muito bonito ver o prefeito saber cantar o hino da cidade, mas também gostaria que desse essa atenção aos bairros de Curitiba. A cidade não se limita ao Centro", reclamou uma moradora da cidade na página da prefeitura no Facebook.

"Prefeito, você esqueceu de dizer que retirou essa estátua do Bairro Alto, onde ela tinha fundamento para a história de Curitiba", criticou outra usuária da rede social.

Uma das lendas da capital paranaense é que o marco zero de Curitiba, na Praça Tiradentes, teria sido indicado pelo chefe indígena Tingui, dos Campos de Tindiquera, às margens do rio Atuba, onde atualmente se localiza o parque Histórico da Vilinha. Essa informação está disponível para quem visita o local, na base da estátua, que hoje não está lá.

A prefeitura de Curitiba informa que a retirada da estátua foi por uma "questão de logística" e que tudo não passou de uma grande confusão.

"Quando iniciou a gestão, pensou-se em restaurar e fazer com que a estátua participasse das festividades do aniversário de Curitiba", conta Janaína Lopes Gehr, administradora regional da Boa Vista, que engloba o Bairro Alto. "Começamos a construir uma réplica também, mas ela não ficou pronta para o evento. E, assim que estiver pronta, ela vai para a Praça Tiradentes, e a original volta ao seu local de origem", ressalta Janaína.

População desconhecia mudança

Os moradores do Bairro Alto, por outro lado, alegam ter ficado sem informações. "Aqui é um lugar importante para a história da cidade. Não deveriam ter tirado a estátua daqui. E, se vão construir outra, que a réplica fosse para o Centro", reclama o aposentado Manoel Batista Leite, 67 anos.

Ele vive há 36 anos no Bairro Alto e usa o Parque Histórico da Vilinha, que conta com quadras esportivas, um centro cultural e uma pista de caminhada e corrida. "Venho caminhar aqui há muito tempo. É o melhor lugar do bairro, porque é plano, e nosso bairro é muito acidentado", diz.

Vinicius Boreki/UOL
Base onde ficava a estátua do cacique no parque da Vilinha

Bárbara Melissa de Amaral, 38 anos, participa de um projeto social no Parque, oferecendo aulas de futebol a crianças e adolescentes entre 6 e 18 anos, há cinco anos, aos sábados. "Os meninos do projeto perguntaram onde estava a estátua, se tinha sido roubada", conta. "Não dá para dizer que a retirada da estátua afete o dia a dia, mas, na verdade, faz parte da história da cidade e deveria estar aqui", afirma.

"A gente não quer uma réplica aqui. Queremos o original", pontua o auxiliar de pedreiro Natalino Felix, de 49 anos, que caminha de segunda a sexta-feira no parque e vive há 47 anos no Bairro Alto. "Nós já avisamos as lideranças do bairro que é só uma questão de tempo até a estátua voltar ao Parque Histórico da Vilinha", reforça Janaína Gehr, administradora regional.

O Bairro Alto

Localizado na Região Nordeste de Curitiba, o Bairro Alto faz divisa com o município de Pinhais, na região metropolitana. Com cerca de 46 mil habitantes dos quase 2 milhões de habitantes da capital, o bairro está distante aproximadamente dez quilômetros do marco zero e tem um perfil residencial, com densidade domiciliar superior à média da cidade.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos