Diego Herculano/AFP

Violência no Rio

Foragido e PM são presos sob suspeita de fornecer armas para facções no Rio

Do UOL, no Rio

  • Pedro Teixeira/Agência O Globo

    PM Vinícius dos Santos de Araújo chega à 39ª DP (Pavuna) após receber voz de prisão

    PM Vinícius dos Santos de Araújo chega à 39ª DP (Pavuna) após receber voz de prisão

Um suspeito de tráfico e um policial militar de uma UPP (Unidade de Polícia Pacificadora) foram presos na quinta-feira (5), no Rio de Janeiro, acusados de fornecimento de armas e munições para as facções criminosas que atuam nas favelas cariocas.

A dupla estava no mesmo carro, que era conduzido pelo PM, trafegando pela estrada Velha da Pavuna, na zona norte da cidade. No veículo, um Hyundai i30, agentes da 39ª DP (Pavuna) encontraram uma grande carga de munição.

O militar foi identificado como Vinícius dos Santos de Araújo, 25, lotado na UPP da Vila Cruzeiro, comunidade situada no Complexo do Alemão. A Polícia Civil não informou a versão do suspeito após ter recebido voz de prisão, tampouco se ele já possui advogado constituído.

Procurado pela reportagem, o comando das UPPs informou que Araújo prestou depoimento na 8ª DPJM (Delegacia de Polícia Judiciária Militar) e, em seguida, foi levado para a Unidade Prisional da PM, em Niterói, na região metropolitana do Estado. Na esfera militar, ele responderá a um processo administrativo disciplinar.

O suspeito de tráfico que estava no carro do policial foi identificado como Paulo Cesar Oliveira Santos, o Índio, que seria membro da facção dominante na favela Senador Camará, na zona oeste carioca. Ele é apontado pela polícia como um dos principais fornecedores de armas de fogo e munições para o crime organizado.

De acordo com a investigação da 39ª DP, no momento da abordagem, a dupla se deslocava a algum ponto no qual seria entregue a carga de munição apreendida: quase 3.500 projéteis de calibre 9mm. "O carro serviria para transportar armas e munições", informou a Polícia Civil, em nota.

Ainda segundo a instituição, Índio já tinha três anotações criminais, o que inclui acusações de homicídio e roubo. Ele era considerado foragido do sistema penitenciário.

O UOL procurou a Polícia Civil para verificar a versão do suspeito, mas não houve resposta para as perguntas formuladas. Foi informado apenas que, às 10h30 desta sexta-feira (5), o delegado da 39ª DP, Henrique Damasceno, fará uma coletiva de imprensa para esclarecer detalhes sobre a ocorrência. Não foi possível checar se Índio já possui advogado constituído.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos