Violência no Rio

Polícia faz perícia em imóvel onde ocorreu estupro coletivo de menina de 12 anos

Marcela Lemos

Colaboração para o UOL, no Rio

  • Reprodução/Whatsapp

    Polícia esteve na casa onde o estupro foi registrado em vídeo em Mesquita

    Polícia esteve na casa onde o estupro foi registrado em vídeo em Mesquita

A Polícia Civil do Rio de Janeiro realizou nesta quinta-feira (11) uma perícia na casa onde ocorreu o estupro coletivo de uma adolescente de 12 anos. O imóvel fica na comunidade da Chatuba, em Mesquita, Baixada Fluminense. Na casa, moram o namorado da vítima, de 17 anos, e a mãe dele. No quarto onde ocorreu o crime, a polícia apreendeu dois travesseiros, dois telefones, uma câmera fotográfica e uma embalagem de preservativo.

Segundo os investigadores, o namorado da menina a convidou para sua casa para que os dois ficassem juntos enquanto a mãe dele não estava. Quando a jovem chegou ao local, encontrou apenas dois adolescentes. Em seguida, o namorado teria chegado acompanhado por um jovem de 18 anos. De acordo com a polícia, os quatro teriam estuprado a garota.
 
A Dcav (Delegacia da Criança e do Adolescente Vítima) investiga o crime.
 
Um dos adolescentes suspeitos de envolvimento no crime foi ouvido pela polícia na última terça-feira (9) e encaminhado nesta quinta para o Degase (Departamento Geral de Ações Socioeducativas). Ele se apresentou a policiais militares que trabalhavam no Fórum de Madureira, na zona norte, acompanhado pela sua mãe. 
 
A polícia continua na busca pelos outros três suspeitos que teriam participação no crime.
 
O crime ocorreu no último final de semana do mês de abril e as imagens foram divulgadas na internet no último dia 5. O crime foi denunciado à polícia pela tia da menina que teve acesso às imagens. Já foram ouvidos quatro parentes da vítima, incluindo a mãe, a avó e a tia na última segunda-feira (8). 
 
No vídeo, é possível perceber o momento em que a vítima grita pedindo para que o estupro pare, mas os homens continuam com as agressões. 
 
"Cala a boca. Vão ficar ouvindo a sua voz e vão saber que é tu", diz um dos agressores. "Tapa o rosto da novinha", afirma outro envolvido durante o vídeo.
 

Menina presta depoimento à polícia

A menina prestou depoimento na segunda-feira passada e contou à polícia que ficou ao menos uma hora em poder dos criminosos. Nesse período, ela foi agredida e estuprada por ao menos quatro jovens. Uma quinta pessoa teria gravado o estupro em vídeo.
 
As imagens mostram a criança cercada por quatro rapazes nus se revezando para ter relações sexuais com ela, enquanto a menina ora permanece imóvel, ora tenta se desvencilhar. 
 
A delegada responsável pelo caso, Juliana Emerique, disse que a menina está abalada.
 
"Ela não esperava a dimensão [do episódio]. Ela está abalada como uma adolescente de 12 anos, mas ela está aqui firme conosco. É tudo um grande susto para a vida de uma adolescente", disse a delegada. 
 
Os envolvidos podem responder por estupro de vulnerável, produção e divulgação de material pornográfico de menor de idade.
 
A família da adolescente foi inserida no Programa de Proteção a Crianças e Adolescentes Ameaçados de Morte. 
 
O caso acontece quase um ano depois de um outro estupro coletivo envolvendo uma adolescente de 16 anos. O crime também aconteceu em uma comunidade do Rio –no morro da Barão, zona oeste. O vídeo onde a menina aparece desacordada sendo tocada por homens foi publicado na internet e ganhou repercussão. Sete pessoas foram indiciadas pelo estupro no ano passado.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos