Justiça do Rio mantém apreendido adolescente condenado por morte de ciclista na lagoa

Do UOL, em São Paulo

  • Fábio Rossi / Agência O Globo

    24.mai.2015 - Um grupo de ciclistas protestou por mais segurança nas ciclovias após morte de Gold

    24.mai.2015 - Um grupo de ciclistas protestou por mais segurança nas ciclovias após morte de Gold

A Justiça do Rio de Janeiro negou nesta terça-feira (8) o pedido da defesa para anular a condenação de um menor de idade acusado de participar da morte do médico Jaime Gold, 57. Gold foi morto a facadas na ciclovia da lagoa Rodrigo de Freitas, na zona sul da cidade, em crime que alcançou repercussão nacional em 2015.

Na época do crime, os três suspeitos detidos pela polícia eram menores de idade. Os dois que confessaram ter matado o médico cumpriram medidas socioeducativas e estão soltos. O único que nega participação no crime continua apreendido.

Ele foi condenado a três anos de internação, e já cumpriu dois anos e dois meses da pena. O advogado do adolescente, Djefferson Amadeus, alegou no recurso que as provas apresentadas pela polícia não se sustentam. No entanto, o relator do recurso, desembargador Paulo Rangel, entende que, pelo fato de o adolescente já ter sido apreendido em outra oportunidade, ele demonstrava "desprezo pela vida alheia".

No mês passado, um dos dois jovens que assumiram ter participado do crime foi novamente preso, aos 19 anos. Depois de cumprir medida socioeducativa de 1 ano e 9 meses, ele foi preso sob a suspeita de roubar um supermercado em Petrópolis, na região serrana do Rio.

Testemunhas afirmam que médico não reagiu

 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos