Topo

"Antes de o carro explodir consegui tirar meu companheiro", diz sobrevivente de engavetamento

Mirthyani Bezerra

Do UOL, em Jacareí (SP)

30/08/2017 15h07

"Antes de o carro explodir consegui tirar meu companheiro. Saí andando no meio da fumaça. Deus que não quis nos chamar hoje". O relato é do empresário Otávio Diniz, 48, que dirigia um dos primeiros carros a bater no caminhão que provocou um engavetamento de grandes proporções em Jacareí, no interior de São Paulo, na manhã desta quarta-feira.

Otávio Diniz retirou seu colega desacordado do carro antes que o veículo pegasse fogo - UOL
Otávio Diniz retirou seu colega desacordado do carro antes que o veículo pegasse fogo
Imagem: UOL
O acidente deixou ao menos duas pessoas mortas e 12 feridas. Ele ocorreu por volta de 7h40 em um viaduto no Km 75 da rodovia Carvalho Pinto. 

Diniz contou que conseguiu sair do veículo e tirar o seu funcionário, que estava desacordado no banco do carona, antes de o carro explodir.

Ele disse que foi ajudado pelas outras pessoas que também se envolveram no acidente. “Foi horrível. Foi um pânico geral. Mas no meio daquilo tudo vi muita solidariedade. As pessoas se ajudando”, contou. Diniz afirmou que depois que conseguiu tirar o funcionário do carro, desmaiou.

O empresário sofreu uma pancada forte na cabeça e foi levado para a Santa Casa de Misericórdia de Jacareí. 

Queda do viaduto

Na medida em que mais veículos iam se envolvendo no acidente, as próprias vítimas tentavam evitar que mais gente se ferisse. 

"A gente orientava as pessoas: 'vamos sair dos carros'. Uma das pessoas não sabia que por trás da mureta era um precipício e infelizmente pulou e se foi", disse o motorista Jean Duarte em entrevista a jornalistas no local do acidente.

Segundo autoridades, essa vítima ainda não identificada caiu de uma altura de cerca de 30 metros e morreu na hora.

Veículos pegaram fogo após batidas

UOL Notícias

O acidente ocorreu, segundo autoridades, quando o motorista de um caminhão que transportava tintas não conseguiu frear e bateu em um carro em um caminhão que transportava peças de metal. Em seguida, dezenas de outros veículos começaram a colidir. Em minutos, um incêndio queimou boa parte desses veículos.

A outra pessoa que morreu estaria no carro atingido pelo caminhão carregado com tintas.

O motorista Eduardo Gonçalves disse que fumaça de queimada no mato atrapalhava visibilidade - UOL
O motorista Eduardo Gonçalves disse que fumaça de queimada no mato atrapalhava visibilidade
Imagem: UOL

Carreta "veio arrastando outros carros"

O mecânico gráfico Eduardo Gonçalves, 38, foi levado à Santa Casa junto com a mulher Ana Paula Gonçalves, 40. Ele conta que viu o carro da frente batendo e conseguiu frear sem colidir.

“Na hora percebi que era um engavetamento e sai do carro com a minha mulher. Instantes depois uma carreta que estava atrás veio arrastando outros carros. Minha mulher chegou a ficar presa. Eu consegui tirar ela de lá com a ajuda de outras pessoas. Cinco minutos depois o caminhão explodiu”, conta.

Gonçalves afirmou ainda que na hora do acidente a visibilidade na rodovia estava prejudicada possivelmente por causa de uma queimada em mato na região.

Ele teve escoriações leves e já foi liberado. Já Ana Paula fraturou o maxilar e precisou passar por cirurgia. Ainda não há previsão de alta. 

O casal havia saído de Campinas em direção às Araruama (RJ). Ele foi a trabalho, mas levou a mulher porque aproveitariam a viagem para passar o fim de semana na região dos lagos, no Rio de Janeiro.

O pai de Ana Paula, que se identificou como Galani, 69, contou como recebeu a notícia do acidente. “Eu estava em casa sozinho quando me avisaram do acidente e corremos para cá. Ficamos muito preocupados, mas eles estão fora de perigo”, disse. 

Ao menos 12 feridos foram levados para a Santa Casa de Jacareí. Segundo a prefeitura da cidade, que administra a Santa Casa, foi montado um esquema especial para atender todos os feridos, com duas salas reservadas apenas para esse fim. Até o começo da tarde, quatro pessoas já tinham recebido alta médica.

Outros feridos foram levados para o hospital de São José dos Campos, cidade vizinha ao local do acidente. 

Seguro

O carro do aposentado Eduardo Bottaro, 53, foi um dos que pegou fogo na colisão.

Ele contou que tinha acabado de pagar o seguro. “Vencia hoje, mas como eu sabia que ia viajar acabei pagando ontem. Foi horrível, a força foi tanta que até o rádio pulou para fora do carro”

 

Mais Cotidiano