Polícia encontra mulher foragida há mais tempo no Brasil após saques mensais

Lucas Teixeira

Colaboração para o UOL

  • Divulgação/Polícia Civil

A Polícia Civil de Campinas, no interior de São Paulo, conseguiu localizar Lúcia de Fátima Dutra Weisz, 61, conhecida como Viúva Negra, por meio de monitoramento de saques mensais que ela fazia em Ponta Grossa, no Paraná. Presa na tarde da última quinta-feira (5), ela era a mulher procurada há mais tempo no Brasil.

Foragida desde outubro de 1995, Lúcia foi condenada por participar do assassinato do ex-marido, Gavril Weisz, em Americana (SP) em março do mesmo ano. Investigações apontam que, durante estes 22 anos, ela transitou entre os interiores de São Paulo, Paraná e Mato Grosso do Sul.

De acordo com a Secretaria de Segurança do Estado de São Paulo, a polícia já sabia que Lúcia estava em Ponta Grossa. "Após meses de diligências, as equipes conseguiram confirmar o endereço exato em que ela estava, quando iniciaram operação para sua captura, com a ajuda da Polícia Civil local", informou o órgão ao UOL, por meio de nota.

A polícia civil de Campinas conseguiu localizá-la graças a saques mensais que fazia. Cuidadosa, ela mal saia da casa em que morava há cerca de um ano e não usava celular ou telefone fixo, apenas telefones públicos. Ainda não se sabe qual a origem do dinheiro que ela recebia.

Lúcia foi transferida da cidade paranaense para Campinas, onde prestou depoimento na Delegacia de Polícia de Investigações sobre Extorsão Mediante Sequestro (DEAS). Na última sexta-feira (6), a Viúva Negra foi encaminhada a uma unidade prisional. O UOL tentou contatar a Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) para descobrir aonde ela foi levada, mas não obteve resposta.

Entenda o caso

Lúcia foi presa em março de 1995, acusada de participar do assassinato do ex-marido, o bancário Gavril Weisz em Americana, no interior paulista. De acordo com investigações da época, ela teria contratado a empregada doméstica Valdelaine Pereira para executar o crime.

O objetivo era forjar que Gavril havia morrido em uma tentativa de assalto em casa. Depois de presa, ela confessou o crime e explicou que o casal estava em um processo de separação.

A Viúva Negra foi levada à Cadeia Pública de Sumaré para aguardar julgamento, mas conseguiu fugir em outubro daquele ano. Em 2010, ela foi condenada a 14 anos de prisão por homicídio qualificado.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos