Após 2 meses em SP e prestes a se tornar pai, diretor de empresa é morto na porta de casa

Do UOL, em São Paulo

  • Reprodução/Facebook

    Thiago Oya, 28, foi assassinado ao chegar ao prédio onde morava em São Paulo

    Thiago Oya, 28, foi assassinado ao chegar ao prédio onde morava em São Paulo

Há dois meses, Thiago Oya, 28, se mudou para São Paulo, onde assumiu a direção de uma empresa de marketing digital. Ele, em pouco, seria pai pela primeira vez. Sua companheira está no terceiro mês de gestação. Mas o que parecia ser o início de uma nova fase na vida da família teve um fim trágico na madrugada do último sábado (8).

Oya foi baleado quando chegava em casa, no início da madrugada, na avenida Santa Marina, Água Branca, bairro de classe média da zona oeste paulistana, após o expediente de trabalho. Ele foi atingido por disparo de uma pistola calibre 380 e morreu no local, segundo a Secretária de Segurança Pública do Estado de São Paulo.

O DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa), da Polícia Civil paulista, investiga o assassinato.

À Polícia Militar, no registro da ocorrência, a companheira do rapaz relatou que ele havia avisado por mensagem de voz que chegaria mais tarde naquele dia, por conta do trabalho. Antes, porém, ele havia passado em uma farmácia na região da avenida Pompeia, próxima ao local do crime, segundo a polícia.

Ainda conforme as autoridades, a companheira da vítima relatou desconhecer se ele recebia ameaças ou se tinha inimigos. No boletim de ocorrência, ela afirma que Oya era "uma pessoa muito querida".

Segundo a polícia, um laptop, o telefone celular e uma agenda de Oya não foram levados na abordagem. Os objetos foram encaminhados para perícia, que recolheu também a cápsula próxima ao corpo.

A investigação já coletou também imagens de câmeras de segurança na região que mostram, segundo a polícia, um veículo chegando, parando e saindo em alta velocidade. O tiro que matou Oya teria partido desse veículo. O caso foi registrado como homicídio simples.

Nas redes sociais, amigos e familiares lamentaram a perda de Oya, que, natural de Curitiba, onde o corpo seria velado neste fim de semana, integrava um grupo de torcedores do Coritiba Foot Ball Club residentes na capital paulista.

"Lamentavelmente, a violência deixa mais uma vez sua marca. Thiago Oya, abnegado torcedor do Coritiba aqui pelas bandas paulistas, integrante da COXA SAMPA, grupo de torcedores do Coritiba em São Paulo, foi covardemente assassinado durante um assalto. Prestes a se tornar pai, foi impedido de conhecer o filho", diz mensagem no grupo de torcedores de que Oya era adepto.

Colega de trabalho e um dos sócios da agência de tecnologia onde Oya trabalhava havia poucos meses, um empresário homenageou o jovem com uma mensagem aos pais dele.

"Saibam que seu filho era uma pessoa das mais especiais que já conheci. Ético, educado, guerreiro, vibrante. Uma lição de vida. Que inclusive abraçou desde o primeiro minuto, com todos medos e desafios, a nova vida que está no ventre da Verônica. Que está semente da vida possa ser um pequeno consolo, e principalmente uma imensa alegria de tudo de bom que o Oya representa para todos. #foreveroya", escreveu.

Até a tarde deste domingo (8), ninguém ainda havia sido preso. O contato da Polícia Civil para denúncias é o 180.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos