Prisão em que garoto dormiu com preso está sendo demolida, diz sindicato; governo alega reforma

Aliny Gama

Colaboração para o UOL, em Maceió

  • Reprodução

    Construção na Colônia Agrícola Major César de Oliveira tem o telhado removido no Piauí

    Construção na Colônia Agrícola Major César de Oliveira tem o telhado removido no Piauí

A casa usada como alojamento para 24 internos na Colônia Agrícola Major César de Oliveira, em Altos, na região metropolitana de Teresina está sendo demolida desde a tarde desta segunda-feira (9), segundo informou o Sinpoljuspi (Sindicato dos Agentes Penitenciários do Piauí). O local é onde um adolescente de 13 anos dormiu com um preso condenado por estupro. A Sejus (Secretaria de Estado da Justiça) nega a demolição e diz que a unidade prisional está passando por uma reforma.

Foram retiradas telhas e a madeira que sustenta o telhado do imóvel. Alguns pedaços da estrutura de alvenaria também foram arrancados. O vice-presidente do sindicato, Kleiton Holanda, afirmou que estava em visita à unidade prisional com a direção do sindicato quando viram um caminhão sendo usado para transportar as telhas e as vigas de madeira retiradas do telhado da "casa da horta".

Reprodução
"Quando chegamos, nos surpreendemos com a demolição. Nenhum agente penitenciário estava sabendo. Um dos presos que estavam ajudando a demolir o imóvel nos falou que lá vai ser construído um galpão", contou Holanda.

Apesar do prédio já ter começado a ser destelhado e a madeira, retirada da estrutura do telhado, a secretaria nega a demolição. A Sejus informou que a reforma "já estava prevista dentro do plano de estruturação do sistema prisional" e que a obra consiste "em reforma em pavilhões e mudanças na parte da segurança". Ainda não se tem orçamento da obra, nem o tempo que ela durará.

"A secretaria diz que é um estudo de uma reforma, mas eu nunca vi um estudo destelhando uma casa. Vejo que é a obra em si, de demolição", afirma o presidente do sindicato, José Roberto Pereira.

A presidente do Comitê de Prevenção e Combate à Tortura no Piauí e coordenadora do MNDH, Lurdinha Nunes, suspeita que a obra esteja ocorrendo para "esconder as provas" e atrapalhar a investigação da polícia sobre a responsabilidade da secretaria sobre a frequência do menino no local.

Entenda o caso

Na madrugada do dia 1º, agentes penitenciários descobriram durante revista nos alojamentos que um adolescente de 13 anos estava dormindo com o preso José Ribamar Pereira Lima, 52. O garoto foi deixado pelos pais, Gilmar Francisco Gomes, 49, e Sebastiana da Silva Rodrigues Gomes, 46, na tarde do sábado (30), para dormir com Ribamar.

Em depoimento à polícia os pais disseram que voltariam no dia seguinte para buscar o filho. Gilmar e Sebastiana passaram o dia com Ribamar junto com quatro filhos.

O garoto e três irmãos estão em um abrigo do Conselho Tutelar de Altos até que o inquérito seja concluído pela polícia e a Justiça decida se a guarda deles continuará com os pais, familiares aptos ou irão para a adoção. Um relatório está sendo elaborado por equipes multidisciplinar do Ministério Público e Tribunal de Justiça para ser entregue em 30 dias.

No último sábado, a Sejus afastou temporariamente 11 agentes penitenciários que estavam de plantão no último dia 30 de setembro e um outro agente porque ele teria divulgado imagens do menino embaixo da cama. Os servidores estão afastados por 30 dias, podendo ter o prazo prorrogado por igual período.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos