Suspeitos de participar de tentativa de invasão à Rocinha são presos em operação no Rio

Hanrrikson de Andrade

Do UOL, no Rio

A Polícia Civil prendeu nesta sexta-feira (27) quatro suspeitos que, segundo investigações, teriam participado da tentativa de invasão de criminosos à Rocinha, na zona sul carioca, em 17 de setembro, -- o episódio resultou em uma disputa entre facções do crime organizado que gerou uma crise de segurança em diversas favelas do Rio de Janeiro.

Os suspeitos Paulo Ricardo Mendes Nonato, Kelvin de Freitas Costa, Dener da Silva Freitas e Gabriel Teixeira Mendes foram detidos durante uma grande operação das polícias e das Forças Armadas no Complexo do São Carlos iniciada na manhã desta sexta-feira. A favela é controlada pela mesma facção que atua na Rocinha.

De acordo com a Secretaria de Estado de Segurança Pública, os quatro criminosos fazem parte do bando leal a Antônio Bonfim Lopes, o Nem, um dos protagonistas dos confrontos na Rocinha. Mesmo detido desde 2011, foi dele a ordem para que subordinados tentassem derrubar o atual chefe do crime organizado na favela da zona sul carioca, Rogério Avelino da Silva, o Rogério 157.

Outros 12 suspeitos foram presos nesta manhã durante as incursões pelo Complexo do São Carlos. No decorrer das ações, os policiais também apreenderam 111 munições, quatro pistolas, um revólver e seis veículos roubados. Nenhum fuzil foi localizado.

Operação

A operação da manhã desta sexta-feira foi realizada nas favelas São Carlos, Zinco, Querosene e Mineira, todas na região central da capital fluminense.

Segundo o CML (Comando Militar do Leste), 1.700 militares e dez carros blindados das Forças Armadas participam do cerco às comunidades. 

O papel das Forças Armadas na operação é cercar as favelas e controlar os acessos - checando documentos e tentando impedir que suspeitos procurados saiam da região ou recebam reforços de outros criminosos de fora das favelas. Enquanto isso acontece, forças policiais entram na área para tentar realizar prisões e apreensões.

Os militares também estão fornecendo informações de inteligência para apoiar os policiais.

Suspeito

O subsecretário de Comando e Controle, Rodrigo Alves, afirmou que um dos suspeitos presos nesta sexta-feira é ligado a um dos homens de confiança do traficante Nem.

O preso Gabriel Teixeira Mendes, seria o segurança de Ramon Aleluia, conhecido como Manga, que, por sua vez, seria o aliado de Nem.

Manga está foragido. Ele foi o criminoso escolhido por Nem para controlar a Rocinha, caso os homens de seu bando tivessem conseguido dominar a favela em setembro, de acordo com o subsecretário.

Mendes foi preso em uma casa na divisa dos morros do São Carlos e da Mineira, de acordo com informações da Dcod (Delegacia de Combate às Drogas). Ele teria confessado aos agentes da especializada ser integrante do chamado "Bonde do Mestre", grupo de traficantes leais a Nem.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos