Violência no Rio

No Rio, facção tenta invadir favela de grupo rival; confronto deixa 5 mortos

Marcela Lemos

Colaboração para o UOL, no Rio

  • Guilherme Pinto/Extra/Agência O Globo

    21.nov.2017 - PMs patrulham acessos ao Morro do São Carlos, no Rio, depois da investida do Comando Vermelho para tentar invadir território controlado pelo ADA

    21.nov.2017 - PMs patrulham acessos ao Morro do São Carlos, no Rio, depois da investida do Comando Vermelho para tentar invadir território controlado pelo ADA

Uma tentativa de invasão da facção CV (Comando Vermelho), que controla o tráfico de drogas em várias favelas do Rio, ao Morro do São Carlos, no Estácio, na zona norte da cidade, terminou com um intenso confronto entre policiais e criminosos, nesta segunda-feira (20), e provocou a morte de cinco pessoas.

Os invasores tentavam derrubar o ADA (Amigos dos Amigos), que tem o domínio das bocas de fumo na região. O grupo, rival do CV, é o mesmo de Antônio Bonfim Lopes, o Nem, ex-chefe do tráfico na Rocinha, na zona sul carioca --atualmente, ele cumpre pena no presídio federal de Porto Velho (RO).

Moradores relataram que, durante a noite de segunda, houve um intenso conflito armado. "É briga de traficante, briga de facção. Está rolando disputa de território. Está tendo muito tiro", disse um homem, que preferiu não se identificar.

"Na [favela da] Mineira também, todo o entorno também teve muito tiro. Foi assustador", contou outro morador, que também optou por manter o anonimato.

Ainda na noite de segunda-feira, um grupo de PMs ficou encurralado na comunidade durante patrulhamento. Por conta disso, o Bope (Batalhão de Operações Especiais), divisão de elite da Polícia Militar, foi acionado. O confronto terminou com cinco mortos, sendo que todos eram suspeitos, de acordo com as informações divulgadas pela assessoria da corporação.

Os cinco chegaram a ser levados para o Hospital Municipal Souza Aguiar, no centro, mas não resistiram aos ferimentos.

A PM informou ainda que, em posse dos mortos, havia um fuzil calibre 5.56, quatro pistolas, carregadores, munições, granadas e equipamentos de comunicação. Além disso, foram apreendidos dois pacotes de maconha, sacolés de cocaína, entre outros materiais.

A ocorrência foi registrada na Divisão de Homicídios da Polícia Civil, que abriu inquérito para investigar o caso. Por meio de nota, a instituição informou apenas que "as vítimas ainda não foram identificadas".

Os tiros ocorreram, segundo relatos de moradores e de ferramentas não oficiais de mapeamento de confrontos atuantes nas redes sociais, no Morro do São Carlos e também nas comunidades da Mineira, do Querosene, do Fallet e do Fogueteiro. Elas estão situadas no trecho entre os bairros do Estácio, de Santa Teresa e do Rio Comprido, formando um grande complexo de favelas.

A possibilidade de novos confrontos acabou prejudicando o funcionamento de uma creche municipal na região, informou a Secretaria Municipal de Educação. Mais de 140 crianças tiveram que ficar em casa.

Operação na Cidade de Deus

Nesta terça-feira (21), 7.550 alunos também ficaram sem aulas em razão de uma operação da Polícia Civil na Cidade de Deus, na zona oeste do Rio.

Ao todo, 12 colégios, três creches e cinco EDIs (Espaços de Desenvolvimento Infantil) não abriram. A operação tem como objetivo cumprir 61 mandados de busca e apreensão. Os alvos são adolescentes suspeitos de terem praticado furto, roubo e tráfico de drogas. Há confronto na região.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos