PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Alunos ocupam reitoria de universidade gaúcha em protesto contra casos de racismo

Pichação de caráter racista encontrada em universidade do Rio Grande do Sul - Divulgação/Ocupação Antirracista-Reitoria-UFSM
Pichação de caráter racista encontrada em universidade do Rio Grande do Sul Imagem: Divulgação/Ocupação Antirracista-Reitoria-UFSM

Luciano Nagel

Colaboração para o UOL, no Rio Grande do Sul

29/11/2017 13h27

Um grupo de estudantes ocupou a reitoria da Universidade Federal de Santa Maria, na região central do Rio Grande do Sul, para cobrar um posicionamento da instituição em relação a episódios de racismo contra alunos negros da instituição. Foram encontradas nas dependências da instituição pichações contendo símbolos nazistas e frases racistas.

A invasão da reitoria ocorreu na última sexta-feira, 24. Os cerca de 30 alunos permanecem acampados na área administrativa da universidade. Eles disseram que seu protesto é contra as pichações.

A universidade afirmou por meio de nota que está investigando os casos de racismo e classificou as pichações como "deploráveis". A instituição também pediu a reintegração de posse do imóvel à Justiça.

Os estudantes envolvidos no protesto criaram uma página em redes sociais chamada "Ocupação Antirracista". Nela, publicaram duas exigências para deixar o local: a identificação e punição imediata dos responsáveis pelas pichações, a elaboração de uma campanha de combate ao racismo pela reitoria e a inserção de universitários negros nos espaços de atendimento ao estudante.

Devido ao protesto, servidores que trabalham na parte administrativa da reitoria não estão podendo entrar no local.

Os estudantes começaram a organizar protestos em agosto, quando alunos encontraram nas paredes de dentro da sala do Diretório Acadêmico do curso de Direito, desenhos de suásticas nazistas. Um grupo de alunos denunciou o caso à Polícia Federal. “Foi a primeira medida que tomamos, isso nos deixou muito preocupados. Como alguém assim dentro da faculdade pode ter este tipo de comportamento”, disse uma das integrantes do Diretório Acadêmico do curso de Direito, que preferiu não se identificar.

No dia 15 de setembro, um novo episódio de pichação foi registrado. Na mesma sala uma parede foi pichada uma frase insultando nominalmente dois alunos da faculdade. A frase dizia: "o lugar de vocês é no tronco, fora negros, negrada fora". Nova queixa foi registrada na Polícia Federal e um inquérito foi aberto.

Em 21 de novembro, logo após o Dia da Consciência Negra, estudantes encontraram na parede da sala do diretório acadêmico do curso de Ciências Sociais mais pichações  racistas. Elas citavam três alunos negros da universidade. 

Em resposta às exigências dos estudantes, por meio de nota, a reitoria da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) informou que “foi instaurado um processo administrativo investigativo para apurar a autoria dos deploráveis atos racistas, de intolerância e de ódio ocorridos nos últimos meses".

A instituição também disse que acompanha e colabora intensamente com a investigação criminal conduzida pela Polícia Federal. "Os autores, uma vez identificados, serão responsabilizados e punidos na forma da Lei e dos regulamentos internos”, diz o comunicado.

 

Cotidiano