Violência no Rio

RJ: motorista é baleado na cabeça em acesso a favela; fim de semana violento teve ao menos 5 mortes

Do UOL, no Rio

  • Reprodução/Facebook/Cristiano Frias

    Cristiano Frias está internado em coma induzido no Hospital São Lucas, na zona sul do Rio

    Cristiano Frias está internado em coma induzido no Hospital São Lucas, na zona sul do Rio

O fim de semana no Rio de Janeiro foi marcado por vários casos de violência, que resultaram em ao menos cinco mortes, sendo quatro apenas na favela da Mangueira, na zona norte carioca, além de policiais e civis baleados.

Uma das vítimas alvejadas foi o motorista Cristiano Frias, no bairro de em Guadalupe, também na zona norte. Cristiano foi abordado por criminosos da comunidade do Gogó da Ema, no sábado (13), na estrada do Camboatá, que dá acesso à favela. Ele estava a caminho da casa de parentes para buscar o filho. O estado de saúde dele é considerado gravíssimo.

O motorista, que trabalha com um aplicativo de transporte, está internado em coma induzido no Hospital São Lucas, em Copacabana, na zona sul da cidade. De acordo com a equipe médica, Cristiano respira com a ajuda de aparelhos. A mulher da vítima relatou à Polícia Militar que os bandidos já chegaram atirando no momento em que desconfiaram do veículo. O condutor não teria reagido.

Também no sábado, um tiroteio ocorrido durante uma operação policial na Mangueira deixou quatro mortos e três policiais militares feridos, sendo que um deles foi atingido por disparo de arma de fogo. A corporação informou apenas que a vítima está internada, mas não informou detalhes sobre o estado de saúde. Um outro policial se recupera bem após ter sido ferido por estilhaços na cabeça.

A polícia informou que os quatro mortos eram criminosos, versão que foi contestada por moradores. Na tarde de sábado, moradores da comunidade fizeram um protesto e fecharam parte da rua Visconde de Niterói, que dá acesso à favela. Manifestantes atearam fogo a objetos e atiraram garrafas na calçada. O ato foi dispersado por homens da Tropa de Choque.

Por conta da instabilidade na região, o Jardim Zoológico do Rio, que funciona na Quinta da Boa Vista, interrompeu as atividades. A escola de samba Estação Primeira de Mangueira faria dois eventos na quadra da agremiação, situada na rua Visconde de Niterói, mas a agenda foi cancelada por medida de segurança.

Ainda na tarde de sábado, uma mulher foi morta a tiros na avenida das Américas, na Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio. A vítima passava de carro pelo local, quando foi fechada por um homem em uma moto. O suspeito desceu do veículo e realizou disparos contra o carro da mulher, fugindo na sequência. A ocorrência foi registrada na Divisão de Homicídios, que investiga a motivação do crime.

Fogo amigo

Disparos no Jacarezinho

No domingo (14), um helicóptero da Polícia Civil que sobrevoava a comunidade do Jacarezinho, na zona norte, efetuou disparos em direção à comunidade e acabou acertando o entorno de contêineres da UPP (Unidade de Polícia Pacificadora) local.

Conforme vídeo publicado nas redes sociais, os tiros teriam deixado ao menos um baleado. O secretário de Estado de Segurança Pública, Roberto Sá, determinou à Corregedoria-Geral Unificada que instaure procedimento para apurar os fatos. Sá se reúne na tarde de hoje com a cúpula da segurança pública para discutir o caso, entre outros assuntos.

Reprodução/Rio de Janeiro-Guerra Civil Urbana
Marcas de tiros no entorno da UPP do Jacarezinho

Esse foi o terceiro dia seguido de ações policiais no Jacarezinho. Nos arredores da favela, na sexta-feira (12), agentes localizaram o corpo do delegado Fábio Monteiro, 38, morto por traficantes. Logo após o homicídio, 40 pessoas foram detidas nas comunidades do Jacarezinho e do Arará.

Grávida é baleada na cabeça

Grávida baleada

Na manhã de sábado, Michelle Ramos da Silva Nascimento Araújo, 33, foi baleada na cabeça durante tentativa de assalto em Belford Roxo, na Baixada Fluminense.

O Hospital Geral de Nova Iguaçu informou que o estado de saúde dela permanece grave, porém estável. Segundo a equipe de neurocirurgia, ela apresentou uma pequena melhora e a previsão é de que nas próximas 24 horas a sedação do coma induzido seja reduzida. Michelle está internada no CTI da unidade.

Após o crime, Michelle, que estava grávida de oito meses, passou por uma cesariana de emergência. O estado de saúde do bebê também é considerado grave, mas estável, de acordo com o hospital. Ontem, o diretor do hospital, Joé Sestello, disse que o bebê terá sequelas em decorrência do trauma.

O marido de Michele, Wallissom Araújo, disse acreditar em milagre e pediu que todos orem pela saúde dela e do bebê, que se chama Antônio e é o primeiro filho do casal.

(Com Band e Estadão Conteúdo)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos