PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Três pessoas morrem após forte chuva que atingiu São Paulo

Luís Adorno

Do UOL, em São Paulo

21/03/2018 09h54Atualizada em 21/03/2018 13h59

A forte chuva que atingiu a cidade de São Paulo entre a tarde e a noite de terça-feira (20) terminou nas mortes de três pessoas na capital paulista: uma criança, um trabalhador adulto e uma idosa.

O desabamento de barracos na favela Água Branca, na zona oeste, causou a morte de uma menina de 1 ano. Outras três pessoas ficaram feridas. No bairro do Limão, zona norte, Vitoriana Leão, 85, morreu após a casa desabar com a enxurrada. Outras duas pessoas ficaram levemente feridas no local.

Além das duas mortes de ontem, o vigilante Gerson de Santana, 43, atingido por uma árvore de grande porte enquanto trabalhava, em Pinheiros, foi socorrido ao Hospital das Clínicas, mas no, fim da manhã desta quarta-feira, também não resistiu aos ferimentos. 

Para a cidade, a chuva de ontem ainda gerou transtornos na manhã desta quarta-feira (21). Havia semáforos quebrados e registros de quedas de árvores na capital paulista.

Segundo a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego), por volta de 9h desta quarta, havia 63 semáforos sem funcionar na capital. Duas horas depois, o órgão informou que o número caiu para 45. Do total de 6.400 semáforos da cidade, 36 estavam apagados, e nove em amarelo piscante.

Ainda de acordo com a companhia, por volta das 11h, o percentual de lentidão na cidade era 27% maior do que a média de trânsito para o período.

O Corpo de Bombeiros informou que houve 95 ocorrências envolvendo queda total e parcial de árvores na cidade entre ontem e a manhã de hoje. Foram 82 na terça, e 13 até as 9h desta quarta.

Segundo o capitão Marcos Palumbo, nesse índice estão inclusos quedas de árvores, casos em que galhos caíram, além de árvores que não caíram por completo e das que estão em perigo de queda iminente.

De acordo com o CGE (Centro de Gerenciamento de Emergências), da prefeitura, a média de precipitação na capital foi de 35,1 milímetros ontem: 20% do previsto para março (175,5 mm). As regiões mais afetadas foram oeste (65,1 mm) e centro (55,3 mm).

Toda a cidade de São Paulo entrou em estado de atenção para alagamentos, ontem, e pelo menos 26 vias ficaram intransitáveis durante a chuva, entre elas, a marginal do Tietê e as avenidas Rebouças e 23 de Maio.

Segundo o CGE, hoje as temperaturas não sobem muito, em função da grande cobertura de nuvens e da influência dos ventos que passam a soprar no sul e sudeste. A previsão é de que volte a fazer calor na sexta-feira (23).

Em entrevista à GloboNews, o secretário-adjunto das Prefeituras Regionais de São Paulo, Milton Persoli, afirmou que a cidade amanheceu sem grandes problemas. "Hoje, a cidade de São Paulo amanheceu com a situação normalizada", disse.

O secretário assegurou que a prefeitura está preparada para enfrentar problemas do tipo por haver trabalhos preventivos feitos regularmente. (Com Estadão Conteúdo)

Bombeiros resgatam vítimas soterradas após desabamento

Band Notí­cias

Cotidiano