PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Transexual é encontrada morta no RS; jogador assume o crime e é preso

Luciano Nagel

Colaboração para o UOL, em Porto Alegre

21/06/2018 22h30Atualizada em 21/06/2018 22h53

Uma transexual foi encontrada morta na manhã desta quinta-feira (21) no município de São Borja, na região da Campanha, a cerca de 580 km de Porto Alegre. O corpo da vítima foi identificado como Thalia Costa Barbosa, de 33 anos, e estava próximo a uma Estação de Captação de água às margens do Rio Uruguai.

De acordo com o delegado de polícia de São Borja, Marcos Viana, o suspeito pelo assassinato foi preso em flagrante por crime qualificado.

Segundo o policial, o jogador de futebol Douglas Gluszszak, de 22 anos, assumiu a autoria do crime e alegou que estava sendo ameaçado por Thalia, com quem mantinha um relacionamento recente.

“O rapaz alegou que mantinha um relacionamento com a transexual há cerca de duas semanas e que, nos últimos dias vinha recebendo ameaças da vítima, que publicaria fotos dele com ela nas redes sociais”, explicou o delegado à reportagem do UOL.

Detalhes da morte de Thalia não foram revelados por Douglas, que é jogador da Associação Esportiva de São Borja e preferiu se manifestar somente em juízo. O atleta, que é natural do município de Canoas e não tinha antecedentes criminais, foi conduzido nesta tarde à Penitenciária Estadual de São Borja.

“Ainda não sabemos como ele matou a vítima, mas há marcas pelo rosto de algum objeto cortante, como se fosse de uma garrafa. No entanto somente após a perícia iremos saber”, afirmou o delegado Marcos Viana.

Segundo moradores, Thalia Costa Barbosa era muito conhecida em São Borja. Ela vendia bilhetes de loteria no centro da cidade e também comercializava títulos de capitalização.

O UOL está tentando contato com a defesa de Gluszszak.

"Esportista disciplinado"

Por telefone, o diretor de futebol da Associação Esportiva São Borja, Eduardo Rocha Santos, classificou Douglas como um esportista disciplinado. “O Douglas chegou aqui no final de março deste ano e foi um atleta que sempre participou dos treinos com muita disciplina. Nunca tivemos nenhum problema com ele. Douglas tinha um bom relacionamento com os colegas do time, onde dividia um alojamento aqui na cidade bancado pelo clube. Foi uma grande surpresa para toda equipe a prisão dele”, desabafou o diretor. 

Eduardo Santos contou que a detenção do atleta ocorreu pela manhã no momento em que a equipe treinava futebol no Estádio Vicente Goulart. “A polícia pediu para eu chamar o treinador Jair Galvão que estava em campo, parou o treino e solicitou para que o atleta Douglas se apresentasse em meio ao grupo. A partir daí ele foi conduzido pelos policiais, sem algemas para prestar depoimento na Delegacia de Polícia em São Borja”, contou o diretor de futebol da Associação Esportiva do município. 

Cotidiano