PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Crianças pintam cavalo e hípica é denunciada ao Ibama por maus tratos

Animal foi pintado em colônia de férias da Escola de Equitação da Hípica, no DF - Reprodução/Facebook
Animal foi pintado em colônia de férias da Escola de Equitação da Hípica, no DF Imagem: Reprodução/Facebook

Jéssica Nascimento

Colaboração para o UOL

23/07/2018 15h27

Um cavalo foi pintado e rabiscado por crianças que participavam de uma colônia de férias da Escola de Equitação da Hípica, no Distrito Federal. O caso chegou até a Comissão de Defesa dos Animais da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) após a advogada e ativista Ana Paula Vasconcelos receber a imagem do animal pelo celular na última sexta-feira (23) e divulgá-la no Facebook. Até o início da tarde desta segunda-feira (26), a postagem já somava mais de 26,6 mil curtidas e 14,3 mil comentários.

Ao UOL, Ana Paula disse que a escola será investigada por suspeita de maus tratos. "Depois da denúncia, fomos até o local e vimos o quanto o cavalo estava acuado e triste. Conversamos com os responsáveis da escola e disseram que o animal havia sido resgatado porque sofria maus tratos", disse a advogada. "Se fosse um animal de sangue puro, com um valor econômico alto fariam isso? Usaram o animal como objeto", completou.

Por meio de nota, o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) informou que no domingo (22) esteve, em ação conjunta com o Instituto Brasília Ambiental (Ibram), na Escola de Equitação da Hípica e fez a notificação. O documento exige a "apresentação do programa pedagógico que justificou a iniciativa, além de laudo veterinário que ateste as condições de saúde dos animais usados no evento".

Leia mais:

Segundo o Ibram, os agentes de fiscalização não identificaram maus-tratos e o animal estava limpo e em boas condições.

As explicações deverão ser encaminhadas em até cinco dias. Só após o prazo, os órgãos irão definir quais serão as medidas tomadas. 

O que diz a escola

Um dos responsáveis pela Escola de Equitação da Hípica, José Cabral, disse que a atividade já vem sendo utilizada em outros países e que ficou assustado com a repercussão. "O exercício é válido porque a criança acaba perdendo o medo de animais de grande porte. Vale destacar que a tinta tem pintura atóxica. Não faz mal para a criança, muito menos par o animal", afirmou Cabral.

De acordo o representante, depois da brincadeira o animal foi levado para a baia onde tomou banho. "Ele não estava estressado de forma alguma", disse José Cabral.

Cotidiano