Topo

Polícia investiga morte de três mulheres após procedimento estético no Rio

Reprodução/Facebook
A professora Adriana Ferreira Capitão Pinto, morta na sexta-feira Imagem: Reprodução/Facebook

Marina Lang

Colaboração para o UOL, no Rio

2018-07-24T10:56:20

2018-07-24T14:59:33

24/07/2018 10h56Atualizada em 24/07/2018 14h59

A Polícia Civil investiga a morte de uma terceira mulher após intervenção estética no Rio de Janeiro. A professora Adriana Ferreira Capitão Pinto, 41, morreu na sexta-feira (20) após se submeter a uma cirurgia em Niterói, região metropolitana do Rio, no último dia 16 de julho. O caso da professora chegou à 16ª DP (Barra da Tijuca) na tarde de ontem.

A médica Geysa Leal Correa foi apontada como a responsável pela cirurgia de Adriana, segundo o depoimento prestado à polícia pelo marido. Ela é sócia da Clínica Soleil Núcleo de Saúde Estética, em Niterói. Embora o registro do Cremerj (Conselho Regional de Medicina) de Geysa esteja ativo, a licença dela não constava Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. 

A família de Adriana não quis falar com a imprensa no velório, que ocorreu hoje em Paracambi, na Baixada Fluminense (região metropolitana do Rio). O delegado disse que a médica ainda não foi ouvida e que o caso será remetido para a 77ª DP (Niterói) ainda hoje. A clínica não atendeu às ligações da reportagem para se manifestar a respeito do assunto. 

A polícia também investiga desde ontem a morte da modelo Mayara Silva dos Santos, 24, logo após um procedimento cirúrgico nos glúteos. Mayara morreu na noite de sexta-feira.

Reprodução/Facebook
A bancária Lilian Calixto, morta após procedimento com o "Dr. Bumbum" Imagem: Reprodução/Facebook
Os casos ocorrem uma semana depois da morte da bancária Lilian Calixto, 46, após um procedimento feito com Denis César Barros Furtado, o Dr. Bumbum, que foi preso na semana passada. 

Segundo parentes, Mayara era carioca, mas namorava um dinamarquês e morou na Europa por nove meses. Ela tinha voltado ao Rio havia um mês, e o namorado viria em outubro. Eles pretendiam se casar no Brasil.

Nesta terça-feira, Mayara se internaria em um hospital para colocar silicone nos seios e fazer rinoplastia (cirurgia no nariz, para melhorar a estética ou a respiração do paciente).

Mas, sem informar à família, ela seguiu sugestão que teria partido de uma amiga e na última sexta-feira, 20, foi até um apartamento na Barra da Tijuca para se submeter aos procedimentos nos glúteos. A suspeita é de que a modelo morreu horas depois.

Quatro pessoas foram ouvidas sobre o caso, inclusive pessoa que teria feito o procedimento —ela foi localizada em casa pela Polícia Civil na noite desta segunda, por volta de 22h, na Barra da Tijuca. 

Reprodução/Facebook
A modelo Mayara Silva dos Santos Imagem: Reprodução/Facebook
Ontem, a aposentada Tânia Cristina de Lima foi ouvida com sua filha, Ohana, na condição de testemunhas - o delegado informou que ambas não são consideradas suspeitas e que Ohana se declarou amiga de Mayara. 

De acordo com os depoimentos prestados por elas à polícia, Mayara teria ido à casa de Tânia para comprar produtos de beleza. Ela afirmou que a modelo aparentava estar sob efeito de drogas e teria passado mal.

Tânia contou então que chamou o Corpo de Bombeiros para socorrer Mayara, mas que, com a demora, apelou a um vizinho que seria membro da corporação. Ela contou que o grupo levou Mayara ao Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra, onde ela já chegou sem vida. 

Uma terceira pessoa, apontada como Valéria, seria massoterapeuta e pode ter aplicado a substância metacril (polimetilmetacrilato) em Mayara. Segundo o delegado, o caso será remetido para a 42ª DP (Recreio) ainda hoje.

Segundo o delegado Felipe Santoro, da 16ª DP, o laudo necroscópico do IML (Instituto Médico Legal) ainda não está pronto e é preciso aguardá-lo para confirmar se a intervenção cirúrgica foi realizada. A hipótese foi levantada por familiares e amigos ontem, durante o funeral. 

Tanto Mayara quanto Adriana foram encaminhadas ao Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca. De acordo com a polícia, as duas já chegaram sem vida à unidade. 

Mayara foi sepultada ontem, no Cemitério da Inhaúma, zona norte do Rio. O enterro de Adriana aconteceu na tarde de hoje, no Cemitério Municipal do Paracambi, interior do Rio.

'Doutor Bumbum'

Preso desde a última quinta-feira, dia 19, o médico Denis Furtado continua detido em Bangu 8, no Complexo Penitenciário de Gericinó, na zona oeste do Rio. Ele foi indiciado pelos crimes de homicídio com dolo eventual (quando não há intenção de matar) e associação criminosa.

Sua mãe, Maria de Fátima, que é médica com registro cassado, também está presa, pelas mesmas acusações. (Com informações do Estadão Conteúdo)

Mais Cotidiano