PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Mulher forja sequestro para viajar com amante que conheceu na internet em MT

Alline Cruz confessou à polícia ter simulado sequestro para viajar com amante que conheceu no Facebook - Reprodução/Facebook
Alline Cruz confessou à polícia ter simulado sequestro para viajar com amante que conheceu no Facebook Imagem: Reprodução/Facebook

Bibiana Bolson

Colaboração para o UOL

23/10/2018 16h13

Uma investigação conduzida pela Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), da Polícia Civil de Mato Grosso, descobriu nesta segunda-feira (22) que Alline Figueiredo da Cruz, de 28 anos, considerada desaparecida, havia forjado um sequestro para ficar com o amante. Após a mulher confessar o plano, a dupla foi autuada e pode pegar de um a seis meses de prisão, além do pagamento de multa, por falsa comunicação de crime.

A cabeleireira teria saído para um curso de estética em um shopping na cidade de Várzea Grande, mas desde então não havia retornado para casa. Quando a família percebeu o sumiço de Alline, na última quarta-feira (17), a polícia passou a fazer buscas. Cartazes foram divulgados na internet e localidades próximas.

No dia seguinte ao desaparecimento, alguns familiares chegaram a receber telefonemas em que um homem se identificava como o sequestrador e pedia que os policiais não fossem comunicados de nada ou então a mulher seria morta. Durante todo o fim de semana a GCCO ouviu depoimentos e buscou pistas.

Leia mais:

Na noite do último domingo (22), a própria Alline pediu ajuda da Polícia Militar. Ela disse ter sido rendida por três criminosos armados, mantida trancada no quarto de uma residência durante quatro dias e liberada apenas naquele dia, quando teria sido deixada na Rodovia dos Imigrantes. 

A polícia explica que desconfiou da versão porque, ao contrário do que a mulher havia explicado, testemunhas contaram que a viram tomando cerveja em uma lanchonete acompanhada de um homem durante o período do suposto desaparecimento. Quando questionada, ela confessou que ter passado os quatro dias em Santo Antônio de Leverger.na companhia de Marcelo, homem que conheceu um mês antes pelo Facebook, e que criou o falso sequestro para justificar a ausência ao marido.

Ainda conforme a Polícia Civil, Alline disse que ligação simulando ser o sequestrador foi feita por Marcelo. A cabeleireira também detalhou que rasgou a própria roupa antes de pedir ajuda à polícia. 

Por forjarem o sequestro, Alline e Marcelo foram autuados nesta segunda-feira por falsa comunicação de crime e liberados após assinarem um termo circunstanciado. "Ambos serão indiciados em razão da gravidade de se mobilizar as forças de Segurança Pública, com uma narrativa absolutamente falsa e irresponsável", destacou o delegado titular da GCCO, Diogo Santana. O Código Penal prevê pena de detenção de um a seis meses e pagamento de multa.

Cotidiano