Topo

Operação para retirar avião que caiu em SP provoca interdição de casas

Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal

Eduardo Lucizano e Guilherme Mazieiro

Do UOL e colaboração para o UOL, em São Paulo

30/11/2018 20h45

O Corpo de Bombeiros interditou três casas atingidas pelo avião de pequeno porte, que caiu nesta sexta-feira (30) na zona norte de São Paulo, para que seja retirada a aeronave do local. O avião modelo Cessna C-210 caiu pouco depois de decolar do aeroporto Campo de Marte, na zona norte de São Paulo. O acidente deixou ao menos dois mortos (o piloto do avião, Guilherme Murback, 26, e o copiloto, Leonardo Imamura, 43) e 13 feridos, segundo o Corpo de Bombeiros.

A empresa dona do avião - cujo nome não foi divulgado - enviou um caminhão guincho, mas os trabalhos foram interrompidos às 21h desta sexta por falta de luz e segurança. Os trabalhos serão retomados às 7h deste sábado (1). Dois advogados da empresa estiveram no local, conversaram com os policiais e vistoriaram o local da queda. Eles deixaram a área do acidente e foram solicitados para comparecer ao 13º Distrito Policial, no bairro da Casa Verde.

Leia também:

As três casas atingidas estão interditadas e não podem ser acessadas pelos moradores. Foi feito o resfriamento para evitar rupturas ou queda das estruturas. Um quarto imóvel em que caiu parte do motor da aeronave está sendo periciado pelos Bombeiros

A capitão Adriana Leandro de Araújo, dos Bombeiros, informou que o número de feridos no acidente subiu para 13 pessoas. Entre eles, seis foram levados a unidades de saúde. Os demais receberam atendimento no local e foram liberados.

"São vítimas leves. Não tem nenhuma vítima grave. Elas têm escoriações e queimaduras", disse a capitão, que acompanhava desde a tarde de sexta o trabalho no local. Além da interdição de três casas atingidas no acidente, a rede de energia elétrica na região foi desligada pelos funcionários da Eletropaulo para facilitar o trabalho de remoção da aeronave.