Topo

Desastre em barragem de Brumadinho é destaque na imprensa internacional

Gilvan Marques

Do UOL, em São Paulo

25/01/2019 20h44Atualizada em 26/01/2019 06h52

O acidente com uma barragem em Brumadinho (MG), a 60 km de Belo Horizonte, que se rompeu no final da manhã desta sexta-feira (25) ganhou destaque na imprensa internacional.

A tragédia foi noticiada por sites de jornais, como os americanos "The New York Times" e "Washington Post", os argentinos "Clarín" e "La Nacion", pelo britânico "The Guardian", o francês "Le Monde", pela rede de TV americana CNN e a mexicana Televisa.

Com o título "200 pessoas desaparecidas no Brasil após o rompimento da barragem de mineração", o "NYT" lembra que "o acidente, na cidade de Brumadinho, ocorre apenas três anos depois que uma barragem explodiu em Mariana, a 120 quilômetros de distância, matando 19 pessoas e causando um dos piores desastres ambientais da história do Brasil".

O "The Guardian" também relembra o episódio de Mariana e completa: "Ambientalistas disseram que o Brasil não aprendeu com o desastre anterior, no qual 375 famílias perderam suas casas e ainda não foram realocadas. As três empresas que operavam a represa de Mariana gastaram mais de US$ 1 bilhão em uma grande operação de limpeza e socorro e pagaram milhões de dólares em multas pelo desastre. Mas nenhum indivíduo foi condenado", pontua.

Na Argentina, o site do jornal "Clarín" reproduziu o texto da agência EFE com a seguinte manchete: "Avalanche no Brasil: uma barragem cedeu, a lama devastou uma cidade e há 200 desaparecidos". 

Mais Cotidiano