PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Morto por PM no Carnaval, jovem se despediu do pai antes de ser agredido

Gabriel Galhardo, 16, foi morto por um PM após intervenção em briga num bloco de Carnaval - Arquivo pessoal
Gabriel Galhardo, 16, foi morto por um PM após intervenção em briga num bloco de Carnaval Imagem: Arquivo pessoal

Leonardo Martins

Do UOL, em São Paulo

16/03/2019 04h01

Gabriel Henrique Alves Galhardo, 16, estava com amigos em um bloquinho na terça-feira de Carnaval em São Luiz do Paraitinga, interior de São Paulo, quando recebeu uma ligação de seu pai oferecendo-se para buscar o jovem.

"Não precisa, não, pai, pode confiar. Beijo, te amo, fica com Deus", disse o garoto a Thiago Angelo Galhardi, 35.

Momentos depois, por volta das 23h, a Polícia Militar interveio em uma briga generalizada na praça do Coreto, no centro da cidade, próximo de onde o jovem estava. Segundo testemunhas, na ação de dispersão, um PM deu um golpe de cassetete na cabeça de Gabriel, que morreu no local.

Gabriel Galhardo, 16, durante trilha de moto com seu pai - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Gabriel Galhardo, 16, durante trilha de moto com seu pai
Imagem: Arquivo pessoal

"Ele estava muito lúcido quando falei com ele, disse que iria buscá-lo, já estava tarde. Foram as últimas palavras dele pra mim, parece que se despediu mesmo", conta o empresário.

Gabriel era estudante de ensino médio em um colégio público e morava com o pai, Thiago, a mãe, Mara Galhardo, 38, e a irmã de 7 anos em Taubaté, a cerca 55 quilômetros de São Luiz do Paraitinga.

Ansioso para completar 18 anos e tirar carteira de motorista, ele amava passear de motocicleta com o pai Thiago e sonhava estudar administração para trabalhar junto com o pai. Gabriel completaria 17 anos em 1º de abril.

Gabriel Galhardo, sua mãe, seu pai e sua irmã - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Gabriel Galhardo, sua mãe, seu pai e sua irmã
Imagem: Arquivo pessoal

"Andar de moto e estar com os amigos, era isso que ele gostava bastante de fazer. Começou a namorar muito recentemente, tava super feliz. Por onde passava, cativava todo mundo", lembra Galhardo.

Além dos pais e amigos, era enorme o amor e carinho pela irmã, que ainda questiona a partida do irmão mais velho. "Ela era apegada e tinha cuidado com ele. Perguntava onde ele ia, a que hora voltava", lembra o pai.

Falamos para a irmã que o papai do céu quis ele junto, e que ele virou uma estrelinha pra cuidar da gente lá de cima Thiago Galhardo, pai do Gabriel

Gabriel Galhardo e seu primo, Renato Bonfim - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Gabriel Galhardo e seu primo, Renato Bonfim
Imagem: Arquivo pessoal

PM foi afastado

De acordo com a apuração do UOL com a Corregedoria da Polícia Militar, o policial militar suspeito de agredir Gabriel foi afastado.

Segundo a Corregedoria, o caso está sendo investigado pelo comando regional de São Luiz do Paraitinga.

A SSP (Secretaria da Segurança Pública) afirma que foi instaurado um Inquérito Policial Militar e que o caso foi registrado como "morte suspeita".

Testemunhas seguem sendo ouvidas para apuração do caso, duas delas teriam reconhecido o PM agressor de Gabriel e outras três confirmaram que viram o PM agredindo o jovem. A defesa do jovem aguarda a instauração do inquérito judicial.

PM usa bombas e balas de borracha contra foliões na Barra Funda

UOL Notícias

Cotidiano