Topo

Bombeiro morre e outro é hospitalizado após incêndio em loja de Araçatuba

Incêndio atinge prédio comerical em Araçatuba, no interior de São Paulo - Reprodução
Incêndio atinge prédio comerical em Araçatuba, no interior de São Paulo Imagem: Reprodução

Alex Tajra

Do UOL, em São Paulo

12/04/2019 21h16

Um bombeiro morreu e outro está internado após um incêndio em um prédio comercial de Araçatuba, interior de São Paulo, hoje. O Corpo de Bombeiros atendeu a um chamado em um edifício na rua Marechal Deodoro da Fonseca e, durante os trabalhos dos militares, o edifício desmoronou.

O sargento Julio Cesar Delfino, 35, estava desaparecido em meio aos escombros, foi encontrado com vida, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no local.

Segundo os bombeiros, Delfino sofreu uma parada cardiorrespiratória. Os militares que trabalhavam no combate ao fogo tentaram reanimá-lo, mas não tiveram sucesso.

O sargento Julio Cesar Delfino, 35, morto enquanto trabalhava para controlar um incêndio em Araçatuba - Reprodução
O sargento Julio Cesar Delfino, 35, morto enquanto trabalhava para controlar um incêndio em Araçatuba
Imagem: Reprodução

Nenhum civil morreu ou se feriu no incêndio.

O governador do estado, João Doria Jr. (PSDB), prestou suas condolências ao oficial por meio de seu perfil no Twitter.

"Com profundo pesar que recebi a notícia da morte do bombeiro Julio Cesar Delfino, de apenas 35 anos, que perdeu sua vida corajosamente em um incêndio na cidade de Araçatuba. Que Deus conforte o coração dos familiares e amigos neste momento de dor e tristeza."

Outro bombeiro, o tenente Alex Silva de Abreu, 32, também foi atingido pelos escombros do prédio que entrou em colapso, foi socorrido e está internado na Santa Casa de Araçatuba (SP) com queimaduras de terceiro grau. Abreu sofreu queimaduras no corpo e nas vias respiratórias.

As equipes permaneceram durante toda a tarde de hoje tentando controlar o fogo -- o qual, segundo a corporação afirmou ao UOL, já está em fase de rescaldo -- estágio final da operação e que visa apagar todos os focos remanescentes que possam reacender as chamas.

Pelo menos 17 viaturas foram deslocadas ao local para combater as chamas que, segundo a corporação, tiveram início por volta das 14 horas.

Mais Cotidiano