Topo

Polícia investiga se incêndio que matou 13 cachorros no RS foi criminoso

Luciano Nagel

Colaboração para o UOL, em Porto Alegre

17/04/2019 17h29

A Polícia Civil de Caxias do Sul (RS) investiga a possibilidade de ter sido criminoso um incêndio ocorrido no último domingo (14) em uma casa no bairro Alto de Galópolis. Ao todo, 13 cachorros que estavam na residência morreram carbonizados.

"Temos elementos suficientes nessa ocorrência que indicam que o incêndio foi criminoso, mas não posso adiantar quais são as provas para não atrapalhar as investigações", afirmou o delegado Luciano Rigues, titular da 3ª Delegacia de Polícia Civil em Caxias do Sul, sem informar se há algum suspeito. Um inquérito foi instaurado para apurar as causas do incêndio.

Segundo o Corpo de Bombeiros do município, no local havia cerca de 60 animais, entre cães e gatos, e a maioria conseguiu fugir do incêndio. Vizinhos e voluntários deixaram potes com comida em torno do local para atrair os bichos de volta ao antigo lar e capturá-los para posteriormente colocar para adoção.

Imagem da casa em Caxias do Sul onde moravam mais de 60 animais. A residência pegou fogo - Divulgação/Patram
Imagem da casa em Caxias do Sul onde moravam mais de 60 animais. A residência pegou fogo
Imagem: Divulgação/Patram
Até a noite de ontem, 21 foram encontrados com vida. Na terça-feira (16), outros quatro cães já haviam sido resgatados por agentes da prefeitura, dois deles com queimaduras superficiais. Os animais encontrados foram levados para um lar temporário.

Na casa, os bichos ficavam separados entre o porão, andar superior e pátio da residência de madeira, alugada pela inquilina havia cerca de 2 meses. No interior do imóvel, também havia filhotes de cães, porquinhos da Índia e pássaros em gaiolas.

Moradora foi notificada recentemente

A moradora da casa foi resgatada com vida e encaminhada pelos bombeiros para o posto ambulatorial para receber atendimento. A vítima, segundo a Polícia Civil, segue internada no hospital da cidade. Ela deverá ser convocada a depor após receber alta médica.

No mês passado, a mulher, que trabalha em prol da proteção animal e não teve seu nome divulgado, havia sido notificada por agentes da Secretaria do Meio Ambiente de Caxias do Sul e pela Patram (Patrulha Ambiental da Brigada Militar) por manter mais de 50 animais confinados em um ambiente pequeno, sem infraestrutura e condições adequadas de higiene e bem estar para os animais.

Ouvida pela reportagem do UOL, a diretora do Departamento de Bem-Estar Animal do Meio Ambiente, Marcelly Paes Felippi, disse hoje que os animais resgatados serão colocados para adoção.

"Fizemos um acordo com esta senhora, que é protetora de animais, e ela ficou de diminuir o número de bichos dentro da residência. Ela vinha semanalmente recolhendo mais cães, desde a última notificação ocorrida há algumas semanas", contou a diretora, que também é medica veterinária.

Mais Cotidiano