Topo

Cão de plástico é confundido, gera denúncia de maus-tratos e mobiliza PM

Divulgação/Polícia Militar do Meio Ambiente de Minas Gerais
Rottweiller de plástico ficava amarrado em quintal de casa em Baependi (MG) Imagem: Divulgação/Polícia Militar do Meio Ambiente de Minas Gerais

Leonardo Martins

Colaboração para o UOL, em São Paulo

2019-05-10T19:19:28

10/05/2019 19h19

Um cão da raça rottweiler estaria acorrentado a uma grade no quintal de uma casa por dias, sob sol e chuva em Baependi, no sul de Minas Gerais. Isto foi o que alguém alegou ao ligar para a Polícia Militar do Meio Ambiente de Minas Gerais e fazer uma denúncia por maus-tratos na última quarta-feira (8).

No entanto, chegando à residência em que o animal se encontrava, os policiais descobriram que o cão a ser socorrido não era real, mas uma estátua de plástico.

A figura ao lado de um pote de comida, que lembra um cachorro de verdade, era usada por um casal de idosos que mora na casa como estratégia de segurança, para que os ladrões pensassem duas vezes antes de assaltar o local.

Divulgação/Polícia Militar do Meio Ambiente de Minas Gerais
De longe, o rottweiler de plástico se passa facilmente por um cão de verdade Imagem: Divulgação/Polícia Militar do Meio Ambiente de Minas Gerais
Segundo o sargento Roner Sebastião Mangia, comandante da corporação da cidade vizinha de São Lourenço, a residência fica perto de uma estrada muito utilizada por turistas da região para visitar cachoeiras e, assim, há a possibilidade de algum deles ter passado mais de uma vez, achado que o cachorro era real e feito a denúncia à polícia.

Após a confusão, depois de ouvidos, os idosos foram liberados e a denúncia foi arquivada.

Mais Cotidiano