Topo

Jovem acusa PMs de estupro dentro de viatura no litoral de SP

Leonardo Martins

Colaboração para o UOL, em São Paulo

14/06/2019 09h48Atualizada em 14/06/2019 09h48

A Corregedoria da Polícia Militar afastou na quarta-feira dois policiais militares suspeitos de estuprar uma cozinheira de 19 anos dentro de uma viatura na Praia Grande, litoral de São Paulo. O caso é investigado pela Delegacia de Defesa da Mulher, e um IPM (Inquérito Policial Militar) foi instaurado para investigar a conduta dos PMs.

Segundo o Boletim de Ocorrência registrado sobre o caso, a jovem pediu ajuda a dois PMs, de 29 e 26 anos, que estavam próximos ao Litoral Plaza Shopping, na avenida Ayrton Senna da Silva.

Após atendê-la, os policiais teriam dado uma carona à cozinheira até o Terminal Rodoviário Tude Bastos, a cerca de 1 km do shopping. No meio do trajeto, segundo o relato, ela foi violentada dentro da viatura. A jovem foi para a casa do sogro e acionou a Polícia Militar para relatar o crime.

O celular da jovem foi encontrado dentro da viatura dos suspeitos. Eles afirmam que tentaram entregá-lo à vítima, mas não conseguiram localizá-la no terminal.

Em depoimento à polícia, os policiais negaram o crime. A reportagem tentou contato com a defesa, mas não obteve retorno.

Após relatar o caso, a cozinheira foi encaminhada em uma ambulância ao Hospital da Mulher e, posteriormente, ao Crei (Centro Referência Emergência Internação). A jovem também realizou exame de corpo de delito no IML (Instituto Médico Legal) de Santos.

Governo lança campanha de defesa da mulher

O governador do estado de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou ontem campanha publicitária contra violência doméstica. A peça traz relatos de mulheres e incentiva que casos sejam denunciados. Segundo o estado, em 2019, o governo inaugurou dez delegacias de defesa da mulher, que funcionam 24 horas por dia. Elas ficam localizadas em Sorocaba, Santos, Campinas e na capital.

Cotidiano