Topo

Barragem rompeu na Bahia, confirma governo; ao menos 500 estão desalojados

Alexandre Santos e Aliny Gama

Colaboração para o UOL, em Salvador e em Maceió

12/07/2019 12h35

O governo da Bahia confirmou na manhã de hoje que houve rompimento na barragem do Quati, na manhã de ontem, que resultou na inundação dos povoados de Quati e Boa Sorte, na zona rural de Pedro Alexandre, no nordeste da Bahia. A prefeitura do município disse que ao menos 500 pessoas estão desalojadas, mas não há confirmação de mortes.

A constatação do rompimento da barragem ocorreu após realização de vistoria do Corpo de Bombeiros e de técnicos da Defesa Civil da Bahia. "Inicialmente, houve o transbordamento da barragem, com rachadura nas laterais. No entanto, a pressão da água acabou provocando rompimento parcial do equipamento", explicou o governo, em nota oficial.

Ontem, a Defesa Civil falava apenas em transbordamento da barragem, enquanto a prefeitura de Coronel João Sá, que também foi atingido pelas águas que transbordaram do rio do Peixe, divulgou que ocorrera o rompimento da barragem.

Segundo o governo da Bahia, uma nova vistoria será realizada, na tarde de hoje, para verificar a extensão dos danos e a situação de barragens vizinhas ao Quati.

Um dia após o incidente, 79 bombeiros estão trabalhando na região atingida no resgate às pessoas desalojadas ou desabrigadas. A atuação nas cidades de Pedro Alexandre e Coronel João Sá tem a participação de mergulhadores, cinco caminhonetes 4x4, um micro-ônibus e botes.

Bombeiros participam de resgate a desalojados devido a barragem que rompeu na Bahia - Divulgados/Corpo de Bombeiros da Bahia
Bombeiros participam de resgate a desalojados devido a barragem que rompeu na Bahia
Imagem: Divulgados/Corpo de Bombeiros da Bahia
Provocada por fortes chuvas, a inundação atingiu os povoados de Quati e Boa Sorte, situados na zona rural de Pedro Alexandre, e chegou à cidade de Coronel João Sá, a 40 quilômetros.

A equipe de buscas ganhou o reforço de 31 bombeiros, que chegaram nesta manhã aos municípios no nordeste da Bahia.

"Estamos atuando com força total, dando suporte à população. Ficaremos com efetivo reforçado na região por tempo indeterminado. Estamos também com outras equipes de prontidão nos quartéis, para se deslocarem caso haja necessidade", informou o coronel Francisco Telles, comandante-geral da corporação.

Também na manhã de hoje, o governo de Sergipe informou que não deve ter cidades atingidas pela água do rio do Peixe. A região atingida fica próxima à divisa entre os dois estados.

"As águas devem ser diluídas ao longo do curso do rio, sem grandes alterações nos níveis", explicou o coronel Alexandre, diretor do Departamento Estadual de Proteção e Defesa Civil (Depec) de Sergipe.

Moradores retirados das casas

11.jun.2017 - O município de Coronel João Sá foi atingido pela água que transbordou da barragem - Município de Coronel João Sá / Reprodução
11.jun.2017 - O município de Coronel João Sá foi atingido pela água que transbordou da barragem
Imagem: Município de Coronel João Sá / Reprodução
Segundo a Superintendência de Defesa Civil do Estado da Bahia (Sudec), moradores da parte baixa do município de Coronel João de Sá foram retirados ontem de suas casas.

De acordo com relatório da Agência Nacional de Águas (ANA), a barragem em questão é de responsabilidade do governo da Bahia.

Em nota, o governo baiano disse que a barragem foi construída pela Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (Car) e entregue em novembro de 2000 à Associação de Moradores da Comunidade de Quati.

Pedro Alexandre e Coronel João Sá estão na região nordeste da Bahia, a 435 quilômetros de Salvador. De acordo com o Censo do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), cada cidade tem cerca de 17 mil habitantes.

Construção de barragem assusta moradores de cidade no interior de SP

UOL Notícias

Mais Cotidiano