Topo

Suspeito de matar estudante é preso na casa de parentes no Rio

Luiza Nascimento Braga, universitária encontrada morta no apartamento do namorado - Reprodução/Facebook
Luiza Nascimento Braga, universitária encontrada morta no apartamento do namorado Imagem: Reprodução/Facebook

Marcela Lemos

Colaboração para o UOL, no Rio

08/08/2019 11h39

A Polícia Civil prendeu ontem Bruno Ferreira Correia, suspeito de matar a estudante de ciências sociais da Uerj (Universidade do Estado do Rio de Janeiro) Luiza Nascimento Braga, 26.

Correia, que era estudante do curso de história, foi detido na casa de parentes em Friburgo, na região serrana do Rio. Ele estava foragido desde junho de 2019.

O corpo de Luiza foi encontrado na casa dele, no bairro do Anil, em Jacarepaguá, na zona oeste do Rio, com marcas de estrangulamento.

Segundo a Polícia Civil informou pela manhã de hoje, Correia estava aguardando para ser transferido para o sistema penitenciário. Contra ele, a Justiça expediu um mandado de prisão preventiva (sem prazo).

O pai da vítima, Luiz Braga, disse ao UOL que está indignado por Correia ter sido encontrado na casa de parentes.

"Graças a Deus a justiça foi feita. Estou indignado, pois a família encobriu, mas Deus fez justiça rápido. Nada vai trazer minha filha de volta, mas fico aliviado por ele ter sido preso", disse emocionado.

Namorado não aceitava fim de relacionamento

De acordo com os parentes da vítima, Luiza desapareceu após contar que recebeu um telefonema de Correia pedindo ajuda para ir ao hospital. A vítima avisou aos pais que acompanharia o ex-namorado até uma UPA (Unidade de Pronto-Atendimento) e depois que saiu de casa, ninguém conseguiu mais contato com ela.

Na ocasião que a jovem foi encontrada morta, o pai disse que ficou surpreso com o desfecho de um namoro que parecia saudável.

"A gente abriu a nossa casa para ele. Se a gente soubesse de alguma coisa, não deixaria ele entrar."

A família de Correia é de Nova Friburgo e ele acabou sendo acolhido pela família da namorada que o considerava uma pessoa humilde e que tratava bem a filha.

No entanto, uma publicação da universitária no dia 11 de junho deixou dúvidas sobre o relacionamento do casal.

Luiza compartilhou uma imagem de uma página chamada "Relacionamento Abusivo" que diz: "sempre que você se cala diante de uma atitude ou uma situação que não gostou, dá ao outro passe livre para continuar te magoando."

Luiza era uma militante de várias causas, entre elas, o feminismo, o combate à violência e o racismo. Amigos relataram que ela dividia a luta por esses assuntos com o namorado.

Tradutor: Estou indignado porque a família encobriu o suspeito, diz pai de jovem morta / Suspeito de matar estudante no Rio é preso; pai da vítima se diz indignado

Mais Cotidiano