Topo

Sequestro de ônibus no Rio: Witzel diz que prioridade é proteção dos reféns

Foto do homem que mantém reféns em ônibus do Rio de Janeiro  - Reprodução/TV Globo
Foto do homem que mantém reféns em ônibus do Rio de Janeiro Imagem: Reprodução/TV Globo

do UOL, em São Paulo

20/08/2019 09h03

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), se manifestou sobre o sequestro de um ônibus na Ponte Rio-Niterói em seu Twitter.

Por volta de 8h40 de hoje, Witzel disse estar "em contato direto com o comando da Polícia Militar" e que a "prioridade absoluta é a proteção dos reféns".

Caos no Rio

Um homem armado está dentro de um ônibus com reféns na manhã de hoje na Ponte Rio-Niterói, sentido Rio de Janeiro. Informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF) indicam que 16 pessoas ainda estão dentro do veículo, que está parado na pista desde as 6h (de Brasília) aproximadamente. Seis reféns já foram liberados. Ainda não se sabe as motivações do homem, que tem em seu poder um revólver 38, um taser, uma faca e um galão de gasolina, de acordo com a PRF.

Imagens da TV Globo mostraram os reféns - quatro mulheres e dois homens - sendo liberados e recebendo atendimento médico. Uma mulher teria desmaiado ao sair do veículo.

O porta-voz da PM do Rio de Janeiro, Mauro Fliess, disse que há indícios de que a ação foi premeditada. Ele ainda informou que há relatos que o homem teria se identificado como policial militar, mas que está informação só poderá ser verificada após o fim da ocorrência.

"A possibilidade de ser um PM não está confirmada, só conseguiremos após uma rendição dele. As características são de que foi algo premeditado, ele tinha instrumentos para fazer coquetel molotov e imobilizar as vítimas. O batalhão já inicia a negociação. Temos plena confiança na capacidade dos PMs e no apoio da PRF que iremos conseguir gerir essa crise e ter um final satisfatório. Pedimos às pessoas que estão no engarrafamento para que dentro do possível mantenham a calma e se mantenham em segurança".

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do que foi informado na matéria, o sequestrador não tinha uma pistola 38, mas sim um revólver 38. A informação foi corrigida.

Mais Cotidiano