Topo

Doações e reza: a ajuda de voluntários no resgate após prédio desabar no CE

Cristiane Bonfim

Colaboração para o UOL, em Fortaleza

19/10/2019 04h00

Resumo da notícia

  • Voluntários se mobilizam para levar baldes e equipamentos para bombeiros
  • Resgate vai continuar até retirada de última vítima de prédio desabado em Fortaleza
  • Psicólogos e fisioterapeutas fazem auxílio a famílias e equipes no local

Enquanto máquinas retiram entulho do edifício Andrea, no bairro Dionísio Torres, que desabou na terça-feira, em Fortaleza, chegam doações de material de apoio para as equipes que trabalham no resgate.

O engenheiro civil Davi de Melo, que trabalha numa empresa de engenharia, veio ao local dos escombros para doar baldes e equipamentos de proteção individual para os bombeiros civis.

"Como o material retirado nos entulhos é muito pesado, os baldes se estragam rapidamente. Conseguimos trazer 50 baldes agora e estamos nos mobilizando para enviar mais", disse o engenheiro.

Os estudantes de enfermagem Késsia Ravena, Lucas Alves e Penélope Teobaldo integram a equipe de voluntários que presta assistência aos parentes das vítimas do desabamento, aos bombeiros e aos socorristas, sob supervisão da professora Juliana Freitas, que também é enfermeira do Samu (Serviço de Atendimento Médico de Urgência). Eles têm atuado em uma equipe multidisciplinar montada na rua do edifício que ruiu.

Da esq. para a dir., os fisioterapeutas voluntários Igor Maia, Laura Pedrosa, Nazaré Santos e Valdirene Malta - Cristiane Bonfim/UOL
Da esq. para a dir., os fisioterapeutas voluntários Igor Maia, Laura Pedrosa, Nazaré Santos e Valdirene Malta
Imagem: Cristiane Bonfim/UOL
Psicólogos, assistentes sociais e fisioterapeutas também se revezam oferecendo a força de trabalho para apoiar envolvidos no resgate e na espera por notícias sobre as vítimas.

Um condomínio na rua Tibúrcio Cavalcante cedeu parte da área comum para que sejam feitos os atendimentos. Os profissionais se revezam em turnos.

A fisioterapeuta Laura Pedrosa e outros três colegas montaram uma estrutura na calçada da travessa Hilnete, a cerca de 70 metros do edifício que caiu, e tentaram aliviar a sobrecarga muscular dos bombeiros.

"A musculatura fica fadigada. Então fazemos um trabalho regenerativo", disse Laura Pedrosa.

Numa outra frente, um grupo de católicos se mobilizou em uma corrente de orações desde a manhã. A aposentada Suzana Carla de Oliveira e a corretora Leila Machado estavam entre as pessoas que rezavam em torno da imagem de uma santa. "A gente sente a presença de Deus", disse Leila.

Veja como foi o desabamento do prédio em Fortaleza

UOL Notícias

As vítimas

Vicente de Paula Vasconcelos de Menezes, 86, foi a última vítima resgatada dos escombros.

Outras duas pessoas ainda são buscadas pelos bombeiros.

Também morreram na tragédia:

  • Frederick Santana dos Santos, 30
  • Izaura Marques Menezes, 81
  • Antônio Gildásio Holanda Silveira, 60
  • Nayara Pinho Silveira, 31
  • Maria da Penha Bezerril Cavalcante, 81.
  • Rosane Marques Menezes, 56.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Cotidiano