Topo

Chuva forte deixa Rio de Janeiro em estágio de atenção e fecha aeroporto

Igor Mello

Do UOL, no Rio

11/11/2019 12h42Atualizada em 11/11/2019 16h20

Resumo da notícia

  • Cidade do Rio de Janeiro entrou em estágio de atenção devido à chuva
  • A previsão é de que o Rio seja afetado por chuvas "fortes a muito fortes" nas próximas horas
  • Os bairros de Alto da Boa Vista e Santa Cruz registraram o maior volume de água
  • Segundo a Defesa Civil, 16 sirenes de sete comunidades foram acionadas
  • O Santos Dumont fechou das 11h39 às 13h23 para pousos e decolagens

A cidade do Rio de Janeiro entrou em estágio de atenção no fim da manhã de hoje em razão das fortes chuvas que atingem as zonas sul, norte e oeste da cidade. Por conta do risco de deslizamentos, o sistema de sirenes foi acionado em ao menos sete comunidades. O aeroporto Santos Dumont ficou por quase duas horas fechado para pousos e decolagens. Diversos pontos do Rio sofrem com alagamentos.

A cidade entrou em estágio de atenção às 11h50, segundo o COR (Centro de Operações Rio). Desde as 11h, vem sendo registrados ventos e chuvas fortes na cidade. Segundo balanço da Prefeitura do Rio, entre os bairros mais atingidos, por volta das 12h, estavam Saúde, na região central (9,8 mm em 15 minutos); Anchieta, na zona norte (9,6 mm); Guaratiba, na zona oeste (8,6 mm); São Cristóvão, na zona norte (8,6 mm), e Urca, na zona sul (6,8 mm).

Às 12h30, a Defesa Civil do município informou que o sistema de alerta de deslizamentos acionou 16 sirenes em sete comunidades: Rocinha, Santa Marta, Ladeira dos Guararapes e Morro dos Cabritos, na zona sul; Morro da Formiga, Santa Alexandrina e Paula Ramos, na zona norte. As sirenes são acionadas quando são registrados mais de 40 mm de chuva em um intervalo de 1 hora.

Às 11h19, a prefeitura informou que a avenida Niemeyer foi totalmente interditada ao trânsito de veículos.

O aeroporto Santos Dumont foi fechado para pousos e decolagens às 11h39, ficando fechado até as 13h23. No momento, as aeronaves operam por instrumentos.

A prefeitura também informou que a linha 2 do VLT (Veículo Leve sobre Trilhos) está parcialmente interditada por conta de um alagamento no túnel da Providência. A linha circula apenas entre a Central do Brasil e a Praça XV. Metrô, barcas e trens funcionam sem interrupções.

O Centro de Operações também compartilhou recomendações para que a população evite eventuais transtornos causados pela chuva. Entre eles estão: não caminhar pela água devido ao perigo de correnteza, ferimento com objetos, buracos e/ou doenças; não ficar na beira de córregos e rios e não forçar a passagem de carros em vias alagadas. A publicação também pede que os motoristas "redobrem a atenção" ao dirigir, mantenham os faróis acesos e evitem áreas com alagamentos.

Alagamentos pela cidade

Nas redes sociais, fotos e vídeos mostram pontos de alagamento em diversos pontos da cidade. O COR alertou para um acúmulo de água na avenida Epitácio Pessoa, na Lagoa, importante ligação entre as zonas sul e oeste da cidade.

Em São Cristóvão, a Rua da Igrejinha apresenta um grande ponto de alagamento na altura da Rua Benedito Otoni. A via é um corredor viário de acesso às avenidas Brasil e Francisco Bicalho.

A avenida Armando Lombardi, na Barra da Tijuca, principal ligação do bairro da zona oeste com a Zona Sul, também apresenta bolsões d'água.

A rua Sete de Setembro, no centro, também alagou. Há relatos de bolsões na avenida Brasil, principal via expressa da cidade, assim como em Botafogo, Jardim Botânico e nas comunidades do Rio das Pedras e da Muzema, no Itanhangá.

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do informado inicialmente no título desta reportagem, a cidade do Rio de Janeiro entrou em estágio de atenção, e não de alerta. A informação foi corrigida.

Cotidiano