PUBLICIDADE
Topo

Mãe transporta dinamite de cinco quilos em mochila de filho de 3 anos

Dinamite foi encontrada na mochila de uma criança em Anápolis (GO) - Divulgação
Dinamite foi encontrada na mochila de uma criança em Anápolis (GO) Imagem: Divulgação

Bruna Alves

Colaboração para o UOL, em Anápolis (GO)

25/01/2020 15h07

Uma jovem de 19 anos foi presa em flagrante, na tarde de ontem, por transportar na mochila do filho, de 3 anos, uma dinamite de cinco quilos, que seria capaz de destruir uma agência bancária inteira. De acordo com a polícia, a mulher, que teve sua identidade preservava, saiu do Tocantins e desembarcou na rodoviária de Anápolis, em Goiás, com o explosivo.

O delegado regional de Anápolis, Pedro Caires, informou que a jovem foi apresentada na Central de Flagrantes de Anápolis, onde segue detida, pela prática do crime previsto no artigo 16, inciso III, da lei 10.826/03, que proíbe o transporte de explosivo ou munição sem autorização legal.

A mãe deve passar por audiência de custódia na próxima segunda-feira, 27. Até o momento, ela não constituiu advogado de defesa e deverá ser assistida por um defensor público.

Em patrulhamento na rodoviária ontem, a Polícia Militar abordou um suspeito que já era conhecido na região. Esse homem estava conversando com a jovem no local e, por isso, ela também foi abordada, no entanto, o homem foi liberado.

"Na bolsa da criança estava esse pacote com essa dinamite. Ela trouxe para entregar para alguém que disse não conhecer", afirmou Cláudio Antônio de Oliveira Gomes Júnior, tenente da Polícia Militar de Anápolis.

"A moça confessou e disse que trouxe a mando de um cara que ela não quis falar quem é. Normalmente, a gente não aborda uma mãe com uma criança de três anos, é fora de suspeita, mas por ela estar conversando com esse camarada que já era conhecido, acabou chamando a atenção da equipe que fez a abordagem. Na verdade, ela só foi usada como mula", avalia o tenente.

Em depoimento à polícia, a jovem disse que veio do Tocantins, da cidade de Araguaína, apenas para trazer a dinamite, e que recebeu R$ 1.000 como pagamento. O batalhão de operações especiais, Esquadrão de Bombas, da Polícia Militar fez a explosão da dinamite.

O filho da suspeita foi entregue aos cuidados do Conselho Tutelar, que entrará em contato com algum familiar para buscá-lo.

Cotidiano