PUBLICIDADE
Topo

Jovem diz que é jogador de futebol, gasta R$ 3.300 em bar e sai sem pagar

Justin Sullivan/Getty Images/AFP
Imagem: Justin Sullivan/Getty Images/AFP

Colaboração para o UOL, em São José do Rio Preto

28/02/2020 15h04

Um restaurante de Santos, no litoral de São Paulo, acusa um homem de 26 anos de ter aplicado um golpe e deixado um prejuízo de R$ 3.300 em consumo. Segundo a dona do estabelecimento, Milena da Silva Gonçalves Bento, o jovem se passou por um jogador de futebol e disse que a carteira dele havia sido furtada para não ter de pagar a conta. O caso ocorreu no início do mês no bairro Ponta da Praia.

Milena contou que o rapaz chegou ao local sozinho, por volta das 13h. De acordo com ela, o homem disse ser jogador de futebol e que atuava em um time da Ucrânia.

"Ele pediu diversas bebidas e comidas importadas. Ele conversava bastante e foi ganhando a confiança dos funcionários. Inclusive se dizia amigo de alguns jogadores que são frequentadores do nosso bar", disse a empresária.

Ainda segundo a proprietária, o jovem pediu o celular de um garçom emprestado e convidou três garotas de programa para beberem com ele. Além das três mulheres, ele ainda servia bebida para outras mulheres que estavam no bar, dizendo que pagaria o consumo.

Por volta das 2h, após passar mais de 10 horas consumindo comidas e bebidas, o jovem chamou a polícia e alegou que a sua carteira havia sido furtada dentro do estabelecimento.

"Ele tentou se passar de vítima para não ter que pagar o consumo. Os funcionários já estavam desconfiados da atitude dele, e quando ele deu essa desculpa fomos todos para a delegacia para explicar exatamente o que havia acontecido", afirmou Milena.

De acordo com ela, o rapaz ficou calado na presença dos policiais. "Ele é extremamente calmo e não diz nada. Mas a nossa Justiça é complicada, porque ele dá o golpe, fica uma noite na delegacia e é liberado", lamentou a empresária.

A ocorrência está sendo investigada no 3º Distrito Policial da cidade. A reportagem do UOL tentou contato com a delegada responsável, porém ela não foi encontrada para falar sobre o assunto.

Reincidente

Segundo a Polícia Civil, quatro donos de restaurantes já registraram boletim de ocorrência contra o jovem alegando terem sofrido o mesmo golpe. Os registros, que foram qualificados pela polícia como "outras fraudes", foram feitos entre os dias 11 e 24 deste mês. O último deles foi registrado na madrugada de segunda-feira (24), em Praia Grande.

De acordo com Hugo Alexandre Ferreira, 38, proprietário de um bar, o jovem agiu de maneira parecida em seu estabelecimento. Ele chegou, por volta das 20 horas, acompanhado de um motorista de aplicativo, se apresentou como jogador de futebol, e após algumas horas bebendo sozinho passou a oferecer bebidas a mulheres que estavam no bar.

"No final da noite, por volta das 5h, não tinha mais nenhum cliente no bar, ele me chamou e disse que havia sido destratado por funcionários e por isso não pagaria a conta", lembrou Ferreira.

O proprietário do estabelecimento chamou a polícia. Durante revista policial foi verificado que o jovem não estava com carteira e nem com os documentos policiais.

"Fomos para a delegacia, registramos a ocorrência e vimos que já havia alguns casos semelhantes que aconteceram dias antes. É o tipo de gente que sai de casa preparada para aplicar esse tipo de golpe", disse o empresário.

Cotidiano