PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
5 meses
Chuva no Rio: sobe para 5 nº de mortos; 6 casas desabam na zona norte

Chuva provoca desabamento de casas na zona norte do Rio de Janeiro - Reprodução/Redes sociais
Chuva provoca desabamento de casas na zona norte do Rio de Janeiro Imagem: Reprodução/Redes sociais

Marcela Lemos

Colaboração para o UOL, no Rio*

03/03/2020 08h50Atualizada em 03/03/2020 13h07

Resumo da notícia

  • Corpo de Matheus Oliveira, 21, foi localizado após ser arrastado em Queimados
  • Seis casas desabaram na manhã de hoje no Jardim América, na zona norte do Rio
  • Após entrar em alerta no domingo, o Rio passou para estágio de atenção às 8h45 de hoje
  • Ao todo, cinco pessoas morreram em decorrências das fortes chuvas

As fortes chuvas que atingiram a cidade do Rio de Janeiro nos últimos dias provocaram o desabamento de seis casas na manhã de hoje no bairro Jardim América, na zona norte. Até o momento, não há informações sobre feridos.

Entre domingo (1º) e segunda-feira (2), quatro pessoas morreram. Na manhã de hoje, foi confirmada a quinta morte ao ser localizado o corpo de Matheus Souza Oliveira, 21, que estava desaparecido desde domingo. Ele foi arrastado por uma enxurrada em Queimados, na Baixada Fluminense, e o corpo foi localizado na região conhecida como Parque Industrial.

O desabamento das casas ocorreu na rua Rodolfo Chambelland, próxima à rodovia Presidente Dutra. O Corpo de Bombeiros foi acionado às 6h52 e, até 9h30, permanecia no local. A região onde os imóveis caíram é cortada pelo rio Acari que transbordou nas últimas chuvas que atingiram a cidade.

O serralheiro Elias de Souza afirmou que avisou os moradores ao notar que o muro de seu imóvel havia desabado. Ele e os vizinhos conseguiram deixar suas casas.

Escutei muitos estalos de madrugada, caiu um pedaço de reboco, depois caiu outro e tinha também muito ruído. Tentei salvar as coisas e botei aqui na frente. Quando a parede caiu, eu resolvi sair de casa e falei com vizinho que estava na janela. Avisei: 'Saí daí, a casa vai cair'. Acho que saíram todos. Infelizmente ficaram os bichos de estimação.

Elias de Souza, morador de local onde seis imóveis desabaram

Já a moradora Rita de Cássia, proprietária de uma das casas que caiu, contou que ficou presa no portão quando o imóvel desabou.

"Desci as escadas correndo, não conseguia abrir o portão. Eu e meu marido tentando abrir até que caiu tudo. Falei: 'Meu Deus, vou morrer! Meu Deus, eu tô morrendo. Minha felicidade é que tô viva aqui. Foi um milagre muito grande na minha vida. Foi uma experiência da morte, senti que estava morrendo. Os vizinhos vieram ajudar a gente. Eles que salvaram", afirmou.

Nas redes sociais, moradores também postaram imagens dos imóveis.

A capital passou para o estágio de atenção às 8h45 de hoje pelo Centro de Operações da prefeitura. A cidade estava em situação de alerta desde a madrugada de domingo.

O estágio de atenção é o terceiro nível em uma escala de cinco e significa que uma ou mais ocorrências impactam o município, afetando a rotina de parte da população. São elas: o desabamento das casas no Jardim América; deslizamento de pedra em Campo Grande e em Realengo, na zona oeste, e ainda dez pontos de alagamento.

Em razão das chuvas, a Seeduc (Secretaria Estadual de Educação) informou que 11 escolas da rede vão ficar fechadas no dia de hoje por causa dos estragos causados pelas chuvas dos últimos dias. Nesta segunda, 42 unidades não abriram pelo mesmo problema.

Em 32 horas, choveu metade do esperado no mês

Entre 0h de domingo e 8h de ontem, choveu mais da metade da média para março em toda a cidade.

Em Santa Cruz, choveu quase o equivalente ao mês todo em apenas 32 horas: acumulado de 154,6 mm quando a média na estação é de 155,3 mm para este mês, ou seja, 99,5%.

Em Bangu, choveu 133,6 mm no mesmo período; no Alto da Boa Vista, o acumulado chegou a 119,8 mm; em Anchieta, 114,2 mm, e na Grota Funda, 112,8 mm nas primeiras 32 horas do mês de março.

De acordo com informações do Alerta Rio, o tempo continuará instável na cidade. Há previsão de chuva fraca a moderada isolada no período da tarde e da noite. Os ventos terão intensidade fraca a moderada e as temperaturas estarão em elevação, com máxima de 28º C e mínima de 19º C.

Chuvas expulsaram 5.000 pessoas de casa

Ainda devido ao temporal, mais de 5.000 pessoas ficaram desabrigadas ou desalojadas. A informação é do último boletim divulgado ontem pela Defesa Civil Estadual (Sedec-RJ) e do Corpo de Bombeiros do estado do Rio de Janeiro.

Os bombeiros atenderam mais de 800 chamados no estado desde a manhã de sábado (29). Os atendimentos incluem salvamentos, cortes de árvores, buscas e resgates.

Os principais motivos foram desabamento de estrutura, ameaça de desabamento de estrutura, deslizamento de barreiras e encostas e imóveis com rachadura e infiltração. As maiores demandas se concentram em bairros da zona oeste, com 105 ocorrências em Realengo, 54 na Taquara, 39 em Campo Grande, 31 em Bangu e 21 em Deodoro.

Foram registradas 54 interdições emergenciais e, na tarde de ontem, as 30 sirenes acionadas na madrugada de domingo foram desligadas.

* Com informações da Agência Brasil

Cotidiano