PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
5 meses
Chuva deixa ao menos 18 mortos e 30 desaparecidos na Baixada Santista

Fábio de Mello Castanho, Nathan Lopes e Marcelo Oliveira

Do UOL, em São Paulo

03/03/2020 06h27Atualizada em 03/03/2020 22h18

Resumo da notícia

  • Deslizamentos atingiram cidades de Santos, Guarujá e São Vicente
  • Em 12 horas, choveu na região o esperado para todo o mês de março
  • Defesa Civil prevê chuva volumosa nas próximas 24 horas na região

Chuvas ao longo da noite de ontem e da madrugada de hoje deixaram pelo menos 18 pessoas mortas nas cidades de São Vicente, Santos e Guarujá, na Baixada Santista, litoral sul de São Paulo, de acordo com informações do Corpo de Bombeiros.

Por volta das 21h, a corporação informou que procurava por ao menos mais 30 pessoas desaparecidas, que estariam soterradas. Entre os mortos está um bombeiro, que ajudava nos resgates às vítimas em Guarujá. Outro está entre os desaparecidos.

De acordo com a última atualização dos Bombeiros, divulgada às 20h25, 17 pessoas morreram: uma em São Vicente, uma em Santos e 15 no Guarujá.

Guarujá e São Vicente decretaram estado de calamidade pública e suspenderam aulas em suas escolas. No Guarujá, a prefeitura também determinou ponto facultativo em razão da chuva na cidade.

Além de provocar deslizamentos, a chuva causou problemas nas rodovias Anchieta, Cônego Domênico Rangoni e Doutor Manuel Hipólito Rego, que ligam a capital ao litoral. O VLT da Baixada Santista está paralisado nesta manhã. Já o sistema de balsas funciona normalmente.

Chuva acima do esperado

Em 12 horas, choveu na região mais que o esperado para todo o mês de março. Entre as 18h de ontem e as 6h de hoje, Guarujá acumulou 282 milímetros, contra 263,4 milímetros da média.

Em Santos, foram 218 milímetros de chuva para uma média de 253,3. Segundo a Defesa Civil, a previsão é que chova entre 60 e 70 milímetros nas próximas 24 horas.

Bombeiro morre em resgate

O ponto mais crítico foi o Guarujá, onde cinco 15 pessoas morreram em virtude de deslizamento de terra, segundo o Corpo de Bombeiros. Cinco pessoas morreram no Morro do Macaco Molhado, entre elas um bombeiro. Um outro profissional da corporação está soterrado. No Morro do Cantagalo foram 10 as vítimas fatais.

Mãe e filho também também morreram no local. "[Os bombeiros] estavam fazendo atendimento a uma criança e um segundo desmoronamento ocorreu. Um dos bombeiros foi retirado em óbito", disse o comandante do Corpo de Bombeiros, Max Mena, em entrevista à TV Globo.

Em outro ponto do Guarujá, na Enseada, uma pessoa morreu após um deslizamento. Outras duas vítimas na cidade tiveram morte confirmada após atendimento na UPA.

Já em São Vicente, em casal de idosos está soterrado após um desmoronamento na Prainha. Os corpos ainda não foram resgatados.

Outra vítima fatal das chuvas foi confirmada em um deslizamento em Santos, no Morro do Tetéu, no Bairro Caneleira. Segundo a prefeitura, a vítima é uma mulher de 30 anos.

O Corpo de Bombeiros ainda resgatou uma criança no Morro do Fontana, em Santos. A vítima foi socorrida pela corporação e levada para atendimento na Santa Casa. Houve um soterramento no Morro Santa Maria, onde os bombeiros retiraram um morador de uma casa atingida - ele não se feriu.

Previsão é de mais chuva

Dados do Núcleo de Gerenciamento de Emergência da Defesa Civil do Estado indicam que o acumulado nas últimas 12 horas de chuvas no Guarujá foi de 282 mm, em Santos de 218 mm, em Praia Grande 170 mm, São Vicente 169 mm e Mongaguá 160 mm, Cubatão 132 mm e Itanhaém e Bertioga o acumulado foi de 110 mm.

Segundo a Defesa Civil, a previsão para toda a terça-feira é de chuva moderada a forte em todo o litoral de São Paulo, isso inclui toda a região da Baixada Santista devido à formação de uma área de baixa pressão no litoral de São Paulo e a circulação dos ventos nos altos níveis da atmosfera.

Coordenador Estadual da Defesa Civil, o coronel Walter Nyakas Junior está na região para se reunir com prefeitos e avaliar as primeiras medidas que devem ser tomadas.

Autoridades lamentam

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), lamentou no Twitter os efeitos da chuva na região.

Prefeito de Guarujá, Válter Suman (PSB) disse ao BandNews TV que a cidade continua em "alerta máximo, com todas as nossas secretarias e empresas prestadoras de serviços de prontidão para minimizar sofrimento daqueles que estão padecendo neste momento".

Em entrevista à CBN, o prefeito de Santos, Paulo Alexandre Barbosa (PSDB), disse que a prioridade é o atendimento às vítimas. "Principalmente nos morros, que foram mais impactados com obstrução de vias e escorregamentos".

Ele também informou que todos os abrigos da cidade estão abertos para receber os desabrigados. "A prefeitura também colocou à disposição das famílias a Vila Criativa da Vila Progresso e a nova escola municipal Terezinha Maria Calçada Bastos, no São Bento", explicou.

Rodovias

As chuvas provocaram alagamentos e interdições em vias da região. A Rodovia Cônego Domênico Rangoni chegou a ser interditada. A Anchieta está bloqueada no sentido capital devido queda de barreira no km 45, com a subida da Serra sendo realizada apenas pela Imigrantes.

De acordo com informações do Departamento de Estradas de Rodagem (DER), Foram registrados ao menos quatro quedas de barreiras ao longo da Rodovia Doutor Manuel Hipólito Rego, em dois pontos da SP 055 (Rio-Santos) e outros dois da SP 061 (Guarujá-Bertioga).

Travessia de Balsa

A travessia de balsa entre Santos e Guarujá, funciona normalmente, de acordo com a Dersa. O sistema opera com cinco balsas e o tempo médio de espera para embarque é de 15 minutos em ambos os lados.

As demais travessias operam com intervalos de embarque de 15 a 30 minutos, de acordo com a administradora.

VLT

O VLT da Baixada Santista também amanheceu paralisado na manhã desta terça-feira, 3, após deslizamento de terra próximo ao túnel que faz a ligação entre Santos e São Vicente. Uma limpeza está sendo realizada neste momento no local.

Mais de 70 ocorrências em Santos

Em comunicado, a prefeitura de Santos informou que atendeu mais de 70 ocorrências nas últimas horas. Foram registrados deslizamentos nos morros Santa Maria, São Bento, Vila Progresso e Monte Serrat, além do rolamento de um bloco de rocha no Monte Serrat.

O prefeito da cidade reforçou a orientação para que áreas de risco sejam evacuadas. "Nesse momento, vias interditadas e comprometendo o acesso à cidade. Alguns lugares com alagamento por conta das redes de drenagem obstruídas. Na via Imigrantes, o tráfego é lento. São mais de mil pessoas mobilizadas entre Defesa Civil, assistência, Bombeiros, etc. E vamos ter nas próximas horas a presença do governador João Doria porque todos os municípios da Baixada precisam de apoio do governo para restabelecer a ordem nessas cidades. A partir de agora é muito trabalho para restabelecer", afirmou Barbosa.

Segundo ele, a Defesa Civil está vistoriando áreas da cidade com riscos de desabamento. "Equipes da Defesa Civil estão vistoriando áreas de risco para famílias saírem de lá para evitar tragédias. É preciso que as pessoas respeitem os engenheiros, geólogos.... que as pessoas respeitem as recomendações e preservem a vida", completou.

Falta de energia

Durante a madrugada faltou luz em vários pontos do Guarujá. Agora, em Santos, falta luz no bairro da Aparecida.

Estacionamento de shopping alagado

O estacionamento do Shopping Praiamar, o maior de Santos, localizado no bairro da Aparecida, foi parcialmente alagado, o que atrasou a abertura do shopping. Até as 19h20, um dos acessos da garagem permanecia fechado. O supermercado e algumas lojas localizadas no centro comercial abriram à tarde, mas o movimento era abaixo do normal. O bairro onde fica o shopping foi parcialmente atingido por queda de energia agora à noite.

(Com Estadão Conteúdo)

Cotidiano