PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Esse conteúdo é antigo

Em isolamento, idosos ligam para PRF e pedem ajuda para fazer supermercado

Polícia Rodoviária Federal/Divulgação
Imagem: Polícia Rodoviária Federal/Divulgação

Hygino Vasconcellos

Colaboração para o UOL, em Porto Alegre

21/03/2020 20h23

Em isolamento devido à pandemia do coronavírus, três idosos pediram ajuda para a Polícia Rodoviária Federal (PRF) para poder abastecer a casa com mantimentos. O caso aconteceu em São Leopoldo, na região metropolitana de Porto Alegre. O pedido de ajuda foi feito ontem pela 191 - telefone de emergência da PRF - e as compras foram deixadas no apartamento deles na manhã de hoje.

A ligação foi feita pela dona de casa Helena da Silva Gomes Santos Dumont, 75 anos. Ao UOL, ela contou que acabou de passar por uma cirurgia no nervo ciático e não pode carregar peso. Já o marido dela, Adinho Borges, 78 anos, é cego. Uma cunhada do casal também estava na moradia, mas ela tem 73 anos e é considerada de grupo de risco. Helena conta que o casal reside no condomínio há quatro meses e não conhece muito bem os vizinhos. "A maioria sai de casa cedo e só volto à noite", relata.

A idosa conta que, inicialmente, explicou a situação para uma irmã dela que reside em Santa Catarina, que a recomendou a procurar a PRF. Helena entrou em contato com o posto da Polícia Rodoviária Federal em São Leopoldo, que fica próximo do condomínio. Entretanto, ela não conseguiu contato e acionou o 191, no qual a base fica em Porto Alegre - a 33 quilômetros de distância. O agente rodoviário Marco Brito entrou em contato com a família e se prontificou a auxiliá-los após o final do plantão, na manhã de hoje, acompanhado por um colega. "Foi um momento de muita emoção, quando ela veio até a porta e nos viu os olhos dela encheram-se de lágrimas", relata o agente rodoviária. "São pessoas maravilhosos, muito educadas, me comovi com a ajuda deles. Nunca passei por situação dessa", conta a idosa.

O policial rodoviário recomenda que pessoas nessas situações relatem para vizinhos e parentes o que estão passando e compartilhem dificuldades. "O nosso principal objetivo é que as pessoas se solidarizem umas com outras", entende Brito. "O que chegar à PRF e tivermos condições de fazer, vamos fazer", complementou o policial.

Foram entregues para o casal itens básicos, como arroz, leite, frutas, verduras e iogurte. Além dos mantimentos, os policiais rodoviários - que estavam usando máscaras e luvas - aproveitaram o momento para passar dicas de prevenção ao coronavírus. "Conseguimos tranquilizá-los mostrando que o momento é de dificuldade, mas que com as precauções necessárias, permanecendo em casa, lavando bem as mãos, evitando contato com outras pessoas, ingerindo água e se alimentando bem, sairemos dessa crise. Mostramos a eles que não há necessidade de pânico", salienta Brito.

Adinho tem quatro filhos, que moram longe. Já Helena perdeu o único filho em 2011, vítima de um latrocínio (roubo com morte) em Recife.

Procurada pela reportagem, a PRF orienta os idosos a procurarem primeiro vizinhos ou familiares para auxiliar na realização de atividades que envolvam a saída de casa, como ir ao supermercado e farmácia.

Casos oficiais de coronavírus no Brasil - evolução

Cotidiano