PUBLICIDADE
Topo

RS: Morte por covid-19 faz fábrica pausar atividade, mas lojas podem abrir

Luiz Alberto Anschau, 60 anos, morreu devido a complicações do coronavírus - Reprodução/Facebook
Luiz Alberto Anschau, 60 anos, morreu devido a complicações do coronavírus Imagem: Reprodução/Facebook

Hygino Vasconcellos

Colaboração para o UOL, em Porto Alegre

30/03/2020 15h48

A empresa de sucos Petry suspendeu as atividades a partir de hoje após a morte do empresário Luiz Alberto Anschau, 60 anos. Ele era sócio da fábrica e estava internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital da Unimed em Novo Hamburgo, na Região Metropolitana de Porto Alegre e morreu na noite de ontem. O comércio de Ivoti, onde ele residia e onde fica a empresa, no entanto, poderá voltar a abrir no dia 3.

A confirmação para a covid-19 ocorreu no sábado pelo Laboratório Central do Estado (Lacen). Segundo a prefeitura de Ivoti, o primeiro exame foi inconclusivo, sendo necessário um novo, que apontou positivo para a doença.

Anschau viajou para os Emirados Árabes Unidos, no Oriente Médio, com um grupo de oito amigos, que retornou no dia 14 de março. Conforme o prefeito Martin Cesar Kalkmann, ele já começou a sentir os sintomas no avião e saiu do aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre, em isolamento, seguindo para o hospital. Conforme a Secretaria Estadual de Saúde, ele tinha como doenças crônicas hipertensão e cardiopatia.

Além dele, um casal que participou da viagem também foi diagnosticado com coronavírus e está em isolamento domiciliar. É um homem de 60 anos e uma mulher de 58, que fizeram o exame no dia 16 e a confirmação saiu no dia 20. "Eles tiveram sintomas leves, como febre e não precisaram de atendimento médico. É provável que recebam alta ainda esta semana", conta o prefeito.

A mulher de Anschau também fez duas vezes o exame para covid-19, mas o primeiro resultado deu inconclusivo e se aguarda a contraprova. Porém, ela segue em isolamento. Na cidade, pelo menos cinco casos são considerados suspeitos para covid-19.

A vítima era casada havia 36 anos e tinha dois filhos, já adultos.

"Trabalhava muito", conta irmão

A vítima era de uma família numerosa, de oito filhos. Ele era o mais velho deles. "Ele foi o primeiro a trabalhar, trabalhava muito. Gostava de jogar tênis e futebol. Sempre estava ajudando os outros", conta o irmão Andre Marcelino, 55 anos. Ele também estava no grupo que viajou para o Oriente Médio, mas só apresentou tosse quando retornou, não apontando para o coronavírus. "Eu fui ao médico, que fez exame de raio-x, mas não apareceu nada."

Segundo o familiar, a viagem de 12 dias pelo Oriente Médio foi planejada há mais de um ano. Durante esse período, eles conheceram Dubai e planejavam fazer um cruzeiro, que acabou sendo cancelado.

Devido à doença e as restrições para o velório e enterro, a família decidiu cremá-lo em Novo Hamburgo. Entretanto, a cerimônia só pode contar com a participação de cinco pessoas para evitar aglomerações.

Com mais essa morte pelo coronavírus, sobe para três o número no Rio Grande do Sul — as duas outras foram na capital gaúcha. Segundo último boletim epidemiológico, divulgado na manhã de hoje pela Secretaria Estadual de Saúde (SES), o estado tem 241 casos oficiais.

Mesmo com morte, cidade terá liberação parcial de comércio

Em nota, a sucos Petry justifica que a suspensão ocorre como medida de prevenção para "diminuir o contágio e preservar a saúde e bem-estar de todos". A interrupção das atividades é total e atinge indústria, setor de vendas e administrativo. "Tal medida é tomada em conformidade com as orientações dos órgãos governamentais e de saúde pública, que tem por objetivo preservar a saúde de todos. Reforçamos nossos princípios e valores que colocam a vida humana em primeiro lugar."

A empresa prevê a retomada das atividades para o dia 13 de abril. "Nesse momento medidas devem ser tomadas para que logo mais tudo possa voltar ao normal", concluiu a nota.

Na semana passada, no entanto, um decreto autorizou a abertura do comércio em Ivoti no dia 3 de abril. Após a morte, o prefeito afirmou que deve manter a legislação, mas observou que uma reunião na quinta-feira (26) vai discutir o assunto. "Estamos seguindo o decreto estadual, mas os decretos municipais estão mudando a toda hora. Alguns são até mais restritivos que o decreto estadual." A cidade tem cerca de 20 mil habitantes, de acordo com dados do último Censo.

Em Ivoti, o comércio vai poder abrir desde que não exceda a capacidade de 30% no local, considerando a lotação definida no Plano de Prevenção e Proteção contra Incêndios (PCCI), e respeitar a distância de dois metros entre as pessoas. Além disso, é preciso oferecer álcool gel a 70% para os colaboradores e clientes e promover a constante higienização e desinfecção dos ambientes.

Coronavírus