PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
3 meses

Mãe muda depoimento, diz que filha engasgou e que jogou corpo em rio

Jennifer Natália Pedro, mãe de menina de um ano desaparecida em Itapira - Felipe de Souza/UOL
Jennifer Natália Pedro, mãe de menina de um ano desaparecida em Itapira Imagem: Felipe de Souza/UOL

Felipe de Souza

Colaboração para o UOL, em Campinas

20/04/2020 21h33Atualizada em 21/04/2020 15h18

A mãe da menina Isis Helena, de um ano de idade, que está desaparecida há 49 dias, mudou seu depoimento e afirmou, segundo a polícia, que jogou o corpo da filha em um rio após a criança ter morrido engasgada em Itapira (a 160 km de São Paulo).

Depois de afirmar anteriormente que a filha havia sumido da casa onde viviam, Jennifer Natália Pedro disse hoje, de acordo com a Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo, que ficou com medo do que poderia acontecer com ela caso descobrissem que a filha estava morta e que, por isso, jogou o corpo no Rio do Peixe, que corta a cidade. O UOL teve acesso a um documento que resume a declaração dela à polícia.

Isis Helena desapareceu no dia 2 de março. A mãe disse, à época, que a criança teria ficado na casa dela com o avô e que, quando voltou para casa, a porta do local estava aberta e a bebê não estava mais no quarto.

Dezenas de buscas foram realizadas por Corpo de Bombeiros, Defesa Civil e Polícia Civil. Na sexta-feira, a mãe foi presa temporariamente depois que uma testemunha trouxe uma nova informação: ela disse ter visto Jennifer entrando e saindo de um matagal, com uma bolsa, às margens do Rio do Peixe.

Isis Helena - Reprodução - Reprodução
Isis Helena, que, segundo a mãe, morreu engasgada
Imagem: Reprodução

De acordo com o novo depoimento da mãe da menina, no dia 2 de março, Isis Helena estaria com febre e foi medicada com ibuprofeno, além de ter tomado uma mamadeira. No dia seguinte, às 6h15, Jennifer teria percebido que a criança estava gelada e com a boca cheia de espuma e leite. Ao constatar a morte da filha, a mãe da menina disse que levou o outro filho para a creche, pegou a moto dela na casa da mãe e colocou o corpo de Isis em uma mochila.

Segundo a Polícia Civil, Jennifer disse que viu a criança desaparecer com a correnteza.

O advogado de defesa da mãe, João Pellisser, disse acreditar que o caso foi um acidente. "Amanhã vou conversar com a Jennifer, pois preciso me certificar de que a confissão foi espontânea, e não forçada", informou.

Até agora, o Corpo de Bombeiros fez buscas em uma área equivalente a 16 km de extensão. A Defesa Civil de Itapira foi notificada a retomar as buscas amanhã de manhã. A Polícia Civil vai pedir a prorrogação da prisão temporária de Jennifer.

Cotidiano