PUBLICIDADE
Topo

Durante pandemia, apreensão de drogas chega a quase 140 mil kg na fronteira

Avenida de Pedro Juan Caballero, no Paraguai, na fronteira terreste com Ponta Porã, no Matro Grosso do Sul - Reprodução/MOV
Avenida de Pedro Juan Caballero, no Paraguai, na fronteira terreste com Ponta Porã, no Matro Grosso do Sul
Imagem: Reprodução/MOV

Luís Adorno

Do UOL, em São Paulo

04/06/2020 18h46Atualizada em 04/06/2020 19h13

O número de apreensões de drogas na fronteira do Brasil com países vizinhos vem crescendo de janeiro para cá. Entre março e maio, durante a pandemia do novo coronavírus, quase 140 mil quilos de drogas foram apreendidos por polícias brasileiras na divisa do país, de acordo com dados do governo federal obtidos pelo UOL.

Maio deste ano foi o mês com recorde de apreensões do programa Vigia, do Ministério da Justiça, com 70,8 mil quilos de drogas — no mesmo mês do ano passado, quando o programa foi criado, foram apreendidos 77,80 quilos de drogas pelo Vigia. Entre os entorpecentes estão, principalmente, maconha, crack e cocaína.

Criado pelo então ministro Sergio Moro, o Vigia tem como objetivo intensificar a fiscalização nas fronteiras do país. Facções criminosas brasileiras importam droga de países vizinhos e trazem por meio de vias terrestres, aéreas e fluviais, em rotas clandestinas ao longo de toda a fronteira.

O ministério não tem dados anteriores a maio de 2019. Por isso, não é possível comparar as apreensões efetuadas durante a pandemia (de março a maio), com as feitas em março e abril do ano passado.

Policiais entrevistados pela reportagem apontam que um dos fatores preponderantes para a crescente no número de apreensões foi a própria pandemia. Com queda no número de carros trafegando por regiões de fronteira durante o período de quarentena, as suspeitas sobre os carros que estavam nas ruas aumentaram.

A avaliação, no entanto, é contestada por integrantes do Vigia. Eles apontam que, para além das apreensões em fronteiras secas, houve também alta nas apreensões de drogas que chegariam ao país por aviões ou embarcações. Entre março e junho deste ano, 802 carros e 52 embarcações foram apreendidos na fronteira.

Segundo Eduardo Bettini, coordenador geral de fronteiras da Secretaria de Operações Integradas do Ministério da Justiça, o programa Vigia "cresceu 40% durante a pandemia da covid-19. Este crescimento proporcionou o aumento de 249% nas apreensões de cigarro quando comparamos o mês de maio de 2019 com maio de 2020", disse.

Sabemos que o crime não respeita a quarentena e estamos convictos que descobrimos na integração a vacina contra as organizações criminosas.
Eduardo Bettini

"Fechamos o mês de maio com a marca histórica de mais de 70 toneladas de drogas apreendidas pelas instituições estaduais e federais que formam o Vigia. Tudo isso só foi possível com a integração entre as secretarias dos estados, polícias, Forças Armadas, Receita Federal e Abin (Agência Brasileira de Investigação)", disse ele.

Ouça também o podcast Ficha Criminal, com as histórias dos criminosos que marcaram época no Brasil. Esse e outros podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e outras plataformas de áudio.

Segurança pública