PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
15 dias
Casal que ofendeu fiscal diz que não tem por que pedir desculpas

Mulher que apareceu em reportagem humilhando fiscal foi demitida após repercussão negativa - Reprodução/Globo/Fantástico/05-06-2020
Mulher que apareceu em reportagem humilhando fiscal foi demitida após repercussão negativa Imagem: Reprodução/Globo/Fantástico/05-06-2020

Do UOL, em São Paulo

09/07/2020 21h50

Leonardo Barros, de 43 anos, e Nívea Valle Del Maestro, de 39, afirmaram que não se arrependem de nada e que não têm por que pedir desculpas ao fiscal da Vigiância Saniária, devido à discussão ocorrida em uma operação de fiscalização realizada na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio.

Na ocasião, o casal de engenheiros estava em um restaurante antes de serem abordados pela equipe da prefeitura. Eles não gostaram da abordagem e passaram a intimidar os profissionais. Em uma das falas, a mulher rebate o fiscal dizendo: "cidadão, não, engenheiro civil, formado, melhor do que você".

O caso ganhou repercussão depois que o vídeo foi exibido pelo "Fantástico", da TV Globo, no último domingo. Nívea foi demitida da empresa onde trabalhava no dia seguinte.

"Arrependimento não é uma palavra, que eu usaria. Eu diria que o meu tom de voz pode ter sido alterado, mas eu continuo achando que não é uma questão de estar certo ou não. Estávamos usando do nosso direito de questionar o trabalho daquele servidor. Eu posso questionar qualquer servidor público ou quem está nos atendendo. Ele estava trabalhando para a gente e temos o direito de questioná-lo", disse Nívea Valles, em entrevista ao jornal O Globo.

"Qualquer pessoa tem o direito de questionar o serviço público. Ali não foi uma afronta ou qualquer tipo de intimidação. Questionei aqui que achei que não era certo. Talvez o que houve foi uma descontextualização da situação", acrescentou Leonardo.

Durante a entrevista, o casal foi questionado se pediria desculpas ao fiscal. "Não tem por que pedir desculpas. Só fui questionar algo do que entendo. Não desacatei e não ofendi a ninguém. Ao lado tinham dois PMs e dois guardas. Se eu tivesse desacatado, eu estaria preso", pontuou Leonardo.

Cotidiano