PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Esse conteúdo é antigo

SP: Irmã de personal trainer morta a facadas viu crime: 'Tudo muito rápido'

Andressa e Ana Luiza (à dir.) - Arquivo pessoal
Andressa e Ana Luiza (à dir.) Imagem: Arquivo pessoal

Simone Machado

Colaboração para o UOL, em São José do Rio Preto

18/08/2020 16h45

O último dia 12 de agosto não sai da memória da estudante Ana Luiza Serantoni Zacaron, de 18 anos. A jovem presenciou a morte da irmã, a personal trainer Andressa Serantoni, 28, a facadas, após uma discussão com um casal de vizinhos, em São José do Rio Preto, no interior de São Paulo.

Andressa foi morta com pelo menos 30 facadas na região do tórax e pescoço após discutir com uma dona de casa de 44 anos e com o marido dela, jardineiro, de 38. O casal foi preso em flagrante logo após o crime. Os dois tiveram a prisão preventiva decretada.

"Foram duas palavras que a Andressa trocou com a mulher e eles simplesmente mataram ela", diz Ana Luiza.

A irmã da personal trainer conta que estava deitada no quarto quando escutou Andressa chegar e estacionar a moto em frente à residência da mãe, no bairro Vila Anchieta. Em seguida, ela a ouviu perguntar para a vizinha o motivo de estar sendo filmada com o celular. Ana Luiza então se levantou e foi ver o que estava acontecendo.

"Abri o portão e vi que a mulher estava filmando, e o marido dela estava encostado no portão da casa deles. A Andressa perguntou novamente: por que você está me filmando? Nisso a mulher começou a gritar igual uma louca e perguntou se a minha irmã era de alguma máfia e por isso não poderia ser filmada", lembra a estudante.

Na sequência, Andressa teria dito que não entendia o porquê de estar sendo filmada. "Minha irmã tirou o capacete, o colocou no chão e desceu da moto. A mulher foi indo para cima dela, eu ainda falei: Andressa deixa quieto, entra em casa e deixa ela filmar", lembra Ana Luiza.

Ainda segundo relato da irmã, nesse momento a mulher teria segurado Andressa pelo braço e gritado para o marido pegar algo. "Ela falou pega lá, pega lá para gente resolver. Só que nunca passou pela minha cabeça que seria uma faca e que iria acontecer tudo isso. Foi tudo muito rápido. Tudo aconteceu em menos de dois minutos", acrescenta a jovem.

Segundo ela, o vizinho foi até o carro, que estava estacionado em frente à casa dele, pegou duas facas e voltou correndo em direção à personal trainer, que não viu o homem se aproximando.

"Ele veio ele já deu a primeira facada na Andressa e ela já foi caindo no chão. Eu ainda vi ele tirando e enfiando a faca nela muito rápido. Nisso, a mulher dele tentou me puxar para a calçada, mas eu consegui empurrar ela e fechei o portão", afirma.

A jovem lembra que correu para dentro de casa e ligou para um familiar pedindo ajuda. "Antes de eu entrar eu ainda vi a mulher pegando a faca e os dois começaram a esfaquear a Andressa", diz.

Em seguida vizinhos vendo a situação tentaram defender a personal trainer, jogando objetos em cima dos agressores, mas foram ameaçados pelo jardineiro. Após matar a personal trainer, o casal teria entrado na residência deles e trancado o portão e portas, de acordo com o relato.

A Polícia Militar, que fazia ronda pelo bairro, chegou na sequência e arrombou o imóvel. O casal e os quatro filhos deles, com idades entre 4 e 12 anos, estavam dentro da casa.

O homem foi levado ao CDP (Centro de Detenção Provisória) de São José do Rio Preto. A mulher permanece à disposição da Justiça na Cadeia Feminina de Nhandeara (SP).

Vítima cuidava de cão

Andressa não residia na mesma casa da mãe e da irmã mais nova. Ela havia ido até a residência apenas para cuidar de um de seus cachorros, que está doente e ficava na casa da mãe.

"Ele é um cachorro especial, que toma medicamentos, e era acostumado apenas com a Andressa. Ele só comia se fosse com ela", lembra Ana Luiza.

Cotidiano