PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Ex-mister Cuiabá é preso suspeito de atirar na namorada e em PM em boate

Michael Batista, 29, ex-mister Cuiabá, é acusado de ter atirado em namorada e PM - Reprodução/Redes sociais
Michael Batista, 29, ex-mister Cuiabá, é acusado de ter atirado em namorada e PM Imagem: Reprodução/Redes sociais

Felipe Munhoz

Colaboração para o UOL, em Lençóis (BA)

26/10/2020 15h05

O empresário e ex-mister Cuiabá Michael Bruno Silva Batista, 29, foi preso em flagrante nesta madrugada suspeito de atirar na namorada e em um policial militar durante uma confusão no estacionamento de uma casa noturna da capital de Mato Grosso.

De acordo com a Polícia Civil, ele responderá por tentativa de homicídio e por ameaça - contra policiais militares que atenderam a ocorrência. Em vídeo que foi parar nas redes sociais, o rapaz diz que a briga foi por conta de uma BMW, falou que os policiais iriam matá-lo e chamou a namorada de "vagabunda".

Ainda segundo a polícia, o caso aconteceu por volta da meia-noite na boate Nuun Garden, localizada na rua 24 de outubro, no centro de Cuiabá. O suspeito teria tido um desentendimento com um policial de 29 anos, que não teve a identidade revelada, no estacionamento da discoteca e, de acordo com o boletim de ocorrência (BO), começou a agredi-lo com socos.

No BO consta ainda que, após cair no chão, o policial militar, teria sacado uma arma. Neste momento, a polícia disse que Michael Bruno tomou a arma do PM e começou a efetuar os disparos, que atingiram a mão do policial e também o braço da namorada do ex-mister, 27, que terá a identidade preservada.

De acordo com a polícia, Michael Bruno foi detido por um bombeiro militar que estava no local, até a chegada da PM.

michael bruno - Reprodução/Redes sociais - Reprodução/Redes sociais
Michael Batista, 29, em foto ao lado da namorada; ele é acusado de ter atirado nela
Imagem: Reprodução/Redes sociais

A reportagem não conseguiu identificar a defesa do suspeito. Porém, o ex-mister fez um vídeo, de dentro do carro da polícia, com a sua versão do ocorrido.

"Chamei meu carro [para o manobrista]. O cara trouxe um carro igual ao meu e aí outro policial lá, o Renan, que é amigo meu, disse: 'Ah, que você está roubando o carro'. Uma BMW da mesma cor que a minha. Só por isso ele falou que eu estava roubando", disse Michael Bruno.

O ex-mister afirmou que foi se defender após o policial sacar a arma. "Ele começou a tirar a pistola e meter tiro. E eu fui me defender lá. Fui para cima do cara e ele começou a dar tiro em todo mundo. E estes policiais aqui acharam que eu que tirei a arma para atirar no cara", afirmou o empresário.

'Eles vão me matar'

No vídeo, Michael Bruno falou também que os policiais militares que atenderam à ocorrência disseram que iriam matá-lo. "Então, eu sei que eles vão me matar, como eles já me mataram aqui. Já deram dois tiros em mim aqui dentro do porta-mala. Então, vocês me defendem depois. Eu não vou conseguir sobreviver não. Um monte de gente viu lá a cena. Estou aqui [no carro da polícia]. Estão conversando lá [os policiais]. Estão dizendo que vão me matar", disse.

No fim da gravação, o rapaz afirmou que pretende cuidar da filha, que teve com a namorada, mas que nunca mais quer vê-la, chamando-a de "vagabunda".

Vítimas socorridas

A polícia informou que uma equipe da Rotam (Rondas Ostensivas Táticas Metropolitanas), que prestava apoio à ocorrência, socorreu o policial baleado e o encaminhou para um hospital particular de Cuiabá, que não teve o nome divulgado.

O Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) foi acionado para socorrer a namorada do ex-mister e a encaminhou para o pronto-socorro municipal de Cuiabá.

Ameaça contra policiais

Michael Bruno também sofreu ferimentos e a PM o encaminhou para a Policlínica, onde foi medicado. Em seguida, o ex-mister foi conduzido para a Central de Flagrantes e, segundo a polícia, no percurso, ele teria feito ameaças contra os policiais militares e o bombeiro que o deteve.

O suspeito foi ouvido pelo delegado plantonista da Central de Flagrantes e acabou preso em flagrante. O caso será investigado pela 2ª Delegacia de Cuiabá.

Cotidiano