PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Esse conteúdo é antigo

AP: Base da PM é depredada durante protestos contra rodízio de energia

Unidade de Policiamento Comunitária teve os vidros quebrados e botijões, geladeira e extintores furtados - Divulgação/Polícia Militar
Unidade de Policiamento Comunitária teve os vidros quebrados e botijões, geladeira e extintores furtados Imagem: Divulgação/Polícia Militar

Gabriel Dias

Colaboração para o UOL, em Macapá

11/11/2020 13h41

Uma UPC (Unidade de Policiamento Comunitária), no conjunto Macapaba, zona norte de Macapá, foi depredada na noite de ontem. O Amapá vive uma onda de protestos contra as irregularidades no fornecimento de energia elétrica, que funciona no sistema de rodízio com intervalos de 6 horas.

O prédio, que ainda não foi inaugurado, servirá como uma base da PM (Polícia Militar). A unidade teve os vidros quebrados e botijões, geladeira e extintores furtados.

Além da retomada do fornecimento de energia, os moradores do Macapaba reivindicavam também melhorias no fornecimento de água e reforço na segurança pública. Eles bloquearam um trecho da BR-210, que passa em frente ao conjunto, por cerca de oito horas.

De acordo com um balanço da PM, entre a sexta-feira (6) e ontem, já foram registrados mais de 50 protestos contra a falta de fornecimento integral de energia no estado.

Em outra manifestação realizada na madrugada de ontem no bairro Jardim Felicidade 1, também na zona norte de Macapá, moradores apedrejaram uma viatura do Corpo de Bombeiros Militar. O veículo tentava conter o fogo causado pelo protesto. O veículo teve o vidro frontal danificado, mas ninguém ficou ferido.

Desde domingo (8), o Amapá passa por um rodízio de energia com intervalos de seis horas. Segundo o Ministério de Minas e Energia, o fornecimento de energia elétrica no Amapá será 100% normalizado até o final desta semana, mas sem uma data prevista.

Cotidiano