PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
9 meses

Cão perde parte da boca após rojão ter sido amarrado ao corpo, diz PC

Cão foi resgatado e levado para hospital veterinário, onde está internado - Divulgação/ONG Força Animal
Cão foi resgatado e levado para hospital veterinário, onde está internado Imagem: Divulgação/ONG Força Animal

Hygino Vasconcellos

Colaboração para o UOL, em Chapecó

01/01/2021 20h46

Um cachorro teve parte da boca destruída após ter contato com fogos de artifício na madrugada de hoje em Piraquara, região metropolitana de Curitiba. A suspeita é que um rojão tenha sido amarrado ao corpo do animal, conforme informado pelo delegado Matheus Laiola, responsável pela investigação. Fios foram retirados inclusive da boca do animal, o que reforça a hipótese de maus-tratos.

Com a ajuda da Polícia Civil, o cachorro foi resgatado pela ONG Força Animal e encaminhado para o hospital veterinário de São José dos Pinhais, na mesma região. O animal — uma fêmea com idade aproximada de oito anos — está na UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) do hospital e o estado de saúde é grave.

A cadela teve a mandíbula fraturada, que vai precisar ser amputada, conforme a presidente da ONG, Danielly Savi. A língua do animal foi dilacerada com a explosão do rojão e o que sobrou dela foi costurada pela equipe de veterinários. Ela também perdeu todos os dentes. Apesar disso, há chances de sobrevivência.

Danielly foi chamada às 3h e deslocou-se até Piraquara no início da manhã com um investigador da Polícia Civil. "Ela estava muito amuada, debaixo de um carro, na mesma posição que aconteceu. Estava sangrando bastante", conta a protetora.

A polícia vai solicitar imagens de câmera de segurança do local para tentar descobrir o que de fato aconteceu com o animal. Segundo o delegado, ainda há informações desencontradas se ele era comunitário — cuidado por um grupo de moradores - ou se tinha um tutor.

Ajuda financeira

Nas redes sociais, a ONG pediu ajuda para o tratamento da cadela. Conforme Danielly, apenas hoje foram gastos R$ 750 para os cuidados iniciais. Porém, a entidade só conseguiu arrecadar cerca de R$ 300. Há ainda os custos para a cirurgia de amputação da mandíbula, estimados em R$ 2,5 mil e as diárias de internação, que variam entre R$ 120 a 150, além dos remédios.

Mais informações e os contatos da ONG estão disponíveis em sua conta no Instagram.

Cotidiano