PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Jovens desaparecem após carro quebrar em viagem de 2,3 mil km do AM a MT

Rafaella Lopes, 23, e Leonardo Valência, 24, estão desaparecidos - Arquivo Pessoal
Rafaella Lopes, 23, e Leonardo Valência, 24, estão desaparecidos Imagem: Arquivo Pessoal

Bruna Barbosa

Colaboração para o UOL, em Cuiabá (MT)

02/03/2021 20h07

Em 21 de fevereiro, Rafaella Mattos do Nascimento Lopes, de 23 anos, entrou em contato com a família pela última vez. Ela e Leonardo da Silva Pessoa Valência, de 24, voltavam de carro de Manaus (AM) para Cuiabá (MT), uma viagem de cerca de 2,3 mil km. Desde então, eles estão desaparecidos.

A irmã dela, Raquel Mattos do Nascimento Lopes, contou que Rafaella avisou aos pais que estava em Humaitá (AM), a 696 km de Manaus, em um posto de combustível, pois o carro dela havia quebrado. Ela havia viajado para a capital do Amazonas com um grupo de amigos para comemorar o ano novo.

Segundo a família, o aumento de casos da covid-19 e o colapso da saúde na cidade impediram o retorno. A mãe de Leonardo, Cris Pessoa, explicou que Leonardo e Rafaella foram para Manaus com mais três amigos.

"Foram cinco para essa aventura no Amazonas, três abandonaram eles, mas meu filho disse que ficava com a Rafa sempre, pois eles foram juntos e iam voltar juntos para Cuiabá. O meu filho disse que não ia abandonar a Rafa, pois ela não ia deixar o carro para trás. Ele disse que ia voltar com ela para Cuiabá e não ia deixá-la sozinha",

Cris mora em Portugal e afirmou que se sente de "mãos atadas" por estar longe do Brasil e sem notícias do filho. Raquel contou que os pais também estão aflitos com o desaparecimento de Rafaella, que tem uma filha de sete anos.

Os pais dela viajaram para Humaitá em busca de informações da polícia sobre o paradeiro da jovem. "Meu pai acabou de mandar um áudio chorando, não sabe mais o que fazer. Minha mãe não dormia mais, não conseguia mais esperar. Eles fizeram as malas e foram", disse Raquel.

De acordo com a mãe de Leonardo, na última vez em que falou com o filho, ele disse que uma mulher que viajava para São Paulo tinha lhe emprestado um celular para ligar para a mãe. "Falei com ele na semana passada, fizeram amizade com um casal que estava indo para São Paulo e a dona Juliana emprestava um telefone para eles. Foi ela quem emprestou R$ 200 para eles comerem e confiou que eu depositaria esse valor a ela já no dia seguinte. O que realmente foi feito", explicou Cris.

Leonardo também teria reclamado para a mãe sobre a condição das estradas. "O carro avariou antes de chegar em Humaitá. Eles falaram que as estradas podem ser perigosas e estavam ruins, pois avariaram o carro. E eles também me falaram que chegaram a se perder pelas estradas", disse a mãe do jovem. Cris contou que ela e o filho tinham um "combinado" de ele não ficar mais de uma semana sem dar notícias.

Suposta discussão

A irmã de Rafaella disse que testemunhas relataram à polícia que viram ela e Leonardo discutindo no posto de combustível. No entanto, ela não tem mais informações sobre o que pode ter acontecido. A mãe do jovem afirmou que os dois eram namorados, mas Raquel contou que não conhecia Leonardo e ressaltou não saber do relacionamento.

Em nota, a Polícia Civil do Amazonas informou que um mecânico que atendeu Rafaella e Leonardo disse que eles aparentavam ser um casal. De acordo com o delegado Mateus Moreira, titular da Delegacia Especializada de Polícia de Humaitá, eles não pegaram uma balsa que dava acesso a BR-230, o que dá a entender que pegaram a BR-319, sentido Porto Velho (RO).

Os jovens teriam acampado no posto de combustível durante três dias e chegaram a solicitar ajuda da prefeitura do município, que indicou o mecânico para consertar o veículo.

Os depoimentos serão colhidos e encaminhados à Delegacia de Homicídios e Pessoas Desaparecidas de Rondônia, que vai auxiliar nas investigações, já que não há evidências que Rafaella e Leonardo ainda estejam em Humaitá.

Cotidiano