PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
15 dias

Padrasto é suspeito de agredir enteados; bebê teve braço quebrado

PM foi chamada para atender ocorrência na zona norte de Teresina, mas homem fugiu antes da chegada das viaturas - Divulgação/Polícia Militar do Piauí
PM foi chamada para atender ocorrência na zona norte de Teresina, mas homem fugiu antes da chegada das viaturas Imagem: Divulgação/Polícia Militar do Piauí

Ed Rodrigues

Colaboração para o UOL

13/04/2021 21h34Atualizada em 14/04/2021 07h46

A Polícia Militar do Piauí está à procura de um homem suspeito de agredir a namorada e os três filhos da companheira, na zona norte de Teresina.

Uma das crianças, um bebê de apenas 8 meses, teve o braço fraturado. O crime foi denunciado à PM por vizinhos da família. Segundo moradores da área, as agressões contra as vítimas são frequentes mas, dessa vez, o homem acabou sendo agredido pelos moradores das redondezas, antes de conseguir fugir.

O caso chegou ao conhecimento da comandante do 13? Batalhão por meio de grupos de vigilância cidadã.

"Por volta das 21h de ontem, comecei a receber imagens das agressões e imagens da população agredindo o padrasto das crianças. Fomos até o local, mas o homem conseguiu fugiu antes de a viatura chegar", contou a major Elizete Lima ao UOL.

Segundo a comandante, na casa estavam o bebê com o braço quebrado, a mãe e os outros dois filhos, de 4 e 6 anos, ambos com marcas de violência.

"O de 4 anos tinha um hematoma no olho e ferimentos pelo corpo. Segundo os vizinhos, a mulher também era agredida. A gente nem pode julgar porque não sabemos em quais as circunstâncias ela vivia", disse a major.

Ainda de acordo com a militar, o suspeito é natural de São Paulo e já tem passagem pela polícia paulista.

"A senhora estava morando com ele havia três meses. Já era vítima ela própria, mas não fazia denúncia", continuou.

A comandante afirmou que as equipes da PM ainda procuram pelo homem, que teria retornado à residência na madrugada para pegar pertences e fugir.

O Conselho Tutelar de Teresina foi acionado e socorreu as crianças junto com a PM.

Segundo o órgão, todos os protocolos para assegurar a integridade física e psicológica das crianças já foram iniciados.

Os meninos foram encaminhados a um abrigo, cujo endereço está sendo mantido em sigilo, informou o Conselho Tutelar de Teresina.

A denúncia também chegou à Polícia Civil do estado, que abriu investigação por meio da DPCA (Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente).

Cotidiano