PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
15 dias

Integrante da cúpula do PCC é preso com fuzil em São Paulo

15.abr.2021 - Prisão de  Vinicius Henrique Silva de Oliveira, conhecido como Coveiro, em São Paulo. Segundo as autoridades, ele é integrante da cúpula do PCC (Primeiro Comando da Capital) - MARCELO CHELLO/ESTADÃO CONTEÚDO
15.abr.2021 - Prisão de Vinicius Henrique Silva de Oliveira, conhecido como Coveiro, em São Paulo. Segundo as autoridades, ele é integrante da cúpula do PCC (Primeiro Comando da Capital) Imagem: MARCELO CHELLO/ESTADÃO CONTEÚDO

Do UOL, em São Paulo

16/04/2021 15h13

A Polícia Civil prendeu na noite de ontem Vinicius Henrique Silva de Oliveira, conhecido como Coveiro, e que é integrante da cúpula do PCC (Primeiro Comando da Capital). A informação foi confirmada pela SSP-SP (Secretaria de Segurança Pública de São Paulo).

A prisão, por comércio ilegal de arma de fogo, foi realizada pela equipe da 5ª Seccional do Corpo Especial de Repressão ao Crime Organizado (CERCO), em um estabelecimento comercial no bairro do Campo Limpo, na zona sul de São Paulo.

Os agentes realizavam atividades de campo quando descobriram que integrantes de uma facção estariam prestes a comercializar armas de fogo para a prática de crimes diversos na zona leste da cidade e que a entrega do armamento iria acontecer em um bar na zona sul.

De posse das informações, os policiais civis foram até o local e, após monitoramento, detiveram dois homens dentro do estabelecimento, na posse de uma sacola. Dentro dela foram encontrados um fuzil 556 e duas pistolas, calibres 9mm e 40, além de munições calibres 32 e 22. Todo o armamento foi apreendido para perícia. A identidade do outro preso não foi divulgada.

Questionados, os suspeitos confessaram que as armas seriam vendidas. A dupla foi presa em flagrante. Posteriormente, os dois presos foram encaminhados ao cárcere, onde permaneceram à disposição da Justiça.

Ainda de acordo com a polícia, Vinicius, que tem diversas passagens pela Justiça, seria o responsável por determinar a morte de agentes da segurança pública capturados pela organização.

Cotidiano